Redes sociais facilitam manifestações populares

Redes sociais facilitam manifestações populares

Foto/ Catharina Apolinário

Por meio das redes sociais milhares de internautas de todo o Brasil organizaram um grande protesto contra a corrupção no Dia da Independência. As manifestações aconteceram em todas as capitais e também em cidades do interior. Redes sociais como Facebook, Twitter e Orkut foram ferramentas importantes para reunião dos manifestantes, articulação e divulgação das manifestações.

O blog "Brasil+Ético" reuniu todas as manifestações do país em uma agenda, visto o grande número de ações acontecendo ao mesmo tempo. Cerca de 300 eventos contra a corrupção foram criados no Facebook e alguns deles com milhares de presenças confirmadas. As manifestações também foram divulgadas na rede de microblogs com as hashtags #todoscontraacorrupcao, #LutopeloBrasil, #setembronegro, entre outras.

O que existia em comum entre as manifestações é que todas criticam a absolvição da deputada Jaqueline Roriz (PMN-DF) e o voto secreto. A instalação da CPI da Corrupção, validação da Lei da Ficha Limpa e pedidos para que a corrupção se torne crime hediondo também fizeram parte dos temas abordados pelos manifestantes e por algumas manifestações.

As pessoas se caracterizaram de diversas formas. Também não havia bandeira política, mas sim um grito de protesto através de máscaras, apitos, bandanas, caras pintadas, tocas, megafones, bandeiras, chapéus e gritos de um povo cansado. Entre os manifestantes, haviam jovens, idosos, crianças, casais, famílias inteiras e até a presença de animais com seus donos.

Os movimentos ganharam força depois da absolvição pela Câmara da deputada Jaqueline Roriz (PMN), flagrada recebendo dinheiro de um empresário de Brasília. A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e a Associação Brasileira de Imprensa (ABI) manifestaram apoio à Marcha contra a Corrupção. As entidades dizem que a manifestação será uma oportunidade para buscar apoio popular a causas como o fim do voto secreto no Congresso Nacional, a redução de cargos comissionados e a transparência dos gastos públicos.

Brasília

As entidades dizem que a manifestação será uma oportunidade para buscar apoio popular a causas como o fim do voto secreto no Congresso Nacional, a redução de cargos comissionados, a transparência dos gastos públicos e a declaração imediata da constitucionalidade da Lei da Ficha Limpa, que aguarda julgamento definitivo no Supremo Tribunal Federal (STF). Muitos usavam nariz de palhaço e camisetas pretas com dizeres.

São Paulo

Em São Paulo, o ato foi no vão livre do Masp, na avenida Paulista. Na parte da manhã cerca de 500 pessoas se reuniram para exigir um basta na corrupção. Famílias inteiras foram às ruas e um grupo de motociclistas buzinava acompanhando a caminhada. Na parte da tarde, cerca de 2000 pessoas caminharam pela Avenida Paulista, saindo do vão livre do Masp.

Os manifestantes usavam máscaras, nariz de palhaço, caras pintadas e entoavam gritos contra a corrupção e mobilizando as pessoas que estavam ao redor. Os protestos foram organizados por meio da internet. As faixa apoiavam o movimento, pediam ética com o dinheiro público e investimentos em saúde e educação, além dos temas relacionados a corrupção.


Por Catharina Apolinário

Comente