Quando buscar a terapia?

Benefícios da terapia

Foto - Shutterstock

Para alguns, terapia só serve para pessoas com problemas psicológicos, depressivas, que passaram por alguma dificuldade na vida e que precisam de ajuda de alguma forma. Mas quem não tem qualquer problema aparente também pode se beneficiar das sessões com especialistas, sabia?

Pesquisas mostram que colocar em palavras os sentimentos produz efeitos terapêuticos no cérebro. E nada como ter um bom profissional ao lado para desabafar e, de quebra, receber uma orientação para seguir sempre em frente. Afinal, viver é um desafio constante e qualquer mãozinha é sempre bem-vinda, não acha?

Ainda não se convenceu? Então confira 4 motivos para tirar proveito da terapia, mesmo você achando que não precisa.

Lidar melhor com emoções

Falar com um terapeuta pode te ajudar a encontrar caminhos para lidar melhor com emoções derivadas de situações estressantes ou de problemas (e você não precisa ter necessariamente passado por uma situação traumática). Assim você fica com o emocional equilibrado e sua saúde - mental e física - agradece.

Acabar com um problema

Não ia ser ótimo se tivesse um pozinho mágico para usar sempre que aparecesse algum desafio para se lidar no dia a dia, seja ele mais fácil ou mais complexo? Algumas vezes parece tão difícil que você sente que está empacada no mesmo lugar. Um profissional pode te ajudar a lidar melhor com essa questão, iluminar um novo ponto de vista e até mesmo te ajudar a resolvê-la.

Suporte para os seus objetivos

Todas nós passamos em algum momento por uma crise interna. Com o terapeuta, você pode se livrar de bloqueios e encarar seus medos para conseguir ir em frente com seus objetivos - sejam eles perder peso ou mesmo mudar de emprego ou de carreira.

Se encontrar

Está perdida? Ter um profissional para conversar pode te ajudar a se encontrar. Se abrir e falar sobre as suas aflições e receber um suporte pode fazer com que você enxergue o que está te incomodando, consiga traçar objetivos melhores e te trazer mais confiança.


Por Tissiane Vicentin

Comente

Assuntos relacionados: terapia