Qualidade de vida no centro de SP

Qualidade de vida no centro de SP

Foto: Ricardo Fonseca/SECOM

A notícia recém-divulgada pela Prefeitura de São Paulo sobre a possível demolição do Elevado Costa e Silva, o conhecido Minhocão, localizado na região central da cidade divide opiniões. Há quem julgue a proposta boa, outros nem tanto. Mas uma coisa é certa: em muitos aspectos, a qualidade de vida no centro da capital paulista deve melhorar caso o projeto se concretize. Mais segurança, menos poluição sonora e visual, mais iluminação e menos deterioração humana são alguns dos benefícios esperados.

Mesmo sem um prazo definido, a idéia da prefeitura é derrubar o Minhocão, abrir uma ferrovia subterrânea, construir uma nova avenida no local e revitalizar a região há muito tempo decadente. Usuário do elevado há mais de 5 anos, o jornalista Geraldo Nunes, por exemplo, não achou má a notícia. Ele, que também sobrevoa de helicóptero a cidade de São Paulo diariamente, acredita que o projeto traria benefícios.

"O ser humano normalmente custa a aceitar mudanças, mas com certeza conseguiria se adaptar, pois a saída do minhocão, que hoje é uma área coberta, abriria espaço para o sol, deixaria o local mais arejado e afastaria os moradores de rua e usuários de drogas que se instalam no local". Na opinião do jornalista, acostumado a observar o nó do trânsito pela região central diariamente, a melhor fluidez do tráfego também seria uma das vantagens, mesmo que não acontecesse logo de imediato.


Morador do bairro da Aclimação, Geraldo Nunes utiliza o Minhocão todos os dias durante seu deslocamento até o trabalho, no Limão. "Não discuto que o elevado é uma alternativa de trânsito, mas penso que devemos pensar na qualidade de vida para todos os moradores de São Paulo".

Por Adriana Cocco

Comente