Qual o tamanho da sua pegada ecológica?

Qual o tamanho da sua pegada ecológica

Foto: divulgação

Todo mundo ouve falar sobre sustentabilidade e conservação do planeta. Dizer que a natureza pede socorro ou que estamos destruindo o mundo em que vivemos numa velocidade assustadora já não assusta ninguém mais. Poucos são aqueles que buscam mais informações sobre o tema e menos ainda os que se propõem a mudar sua rotina ou estilo de vida para impedir ou pelo menos retardar a escassez de recursos naturais para a humanidade.

Foi pensando em mobilizar mais pessoas que os especialistas William Rees e Mathis Wackernagel criaram o conceito de "pegada ecológica". Eles buscavam maneiras para calcular a dimensão crescente das marcas deixadas na Terra pelos seres humanos. Em 1996, os dois cientistas publicaram o livro "Pegada Ecológica - reduzindo o impacto do ser humano na Terra", que propunha um novo conceito de sustentabilidade.

Essa "pegada" é uma forma de medir o impacto das atitudes de cada pessoa no meio ambiente. Da mesma forma que uma pegada física, diz muito sobre os costumes, cultura e sobre o quanto se está conscientizado a respeito dos danos que certas decisões provocam na natureza.

A iniciativa é importante, em especial no momento em que vivemos. De acordo com o site oficial da WWF, ONG que divulga a "pegada ecológica", desde os anos 1980 a população mundial consome mais recursos naturais que os disponíveis no planeta. E a coisa piorou conforme os anos se passaram. Estudos mais recentes apontam que estamos consumindo 25% a mais que os recursos que temos disponíveis. Ou seja, para sobrevivermos com esse ritmo, precisaríamos de uma Terra e mais um quarto em recursos! Isso considerando uma população mundial de seis bilhões de pessoas, que continua a crescer rapidamente.

Explicando melhor, podemos calcular uma área média em que cada um pode consumir sem exceder a capacidade do mundo, com chance de que a natureza se renove e produza mais matérias-primas para sustentar a todos. Essa região seria um pouco menos que a área de dois campos de futebol (1.8 hectare) por ser humano. Só que, já em 1999, a média de consumo por pessoa era de 2.2 hectares.

Como resultado do consumismo exacerbado, o planeta perdeu, entre 1970 e 2000, aproximadamente 35% de sua biodiversidade. Tal prejuízo só aconteceu quatro ou cinco vezes nos bilhões de anos da história da Terra, e foi causado por eventos de extinção em massa, por desastres naturais, não pelos humanos.

Com dados tão alarmantes, é fundamental que cada um comece a repensar seus hábitos individualmente. Para ajudar, a WWF criou um teste com o objetivo de dimensionar o tamanho da "pegada" de alguém. A ideia é simples e inovadora: são apenas 15 perguntas sobre hábitos diários e preferências. A primeira questão, por exemplo, aborda a alimentação: "Entre os alimentos que normalmente você consome, que quantidade é pré-preparada, embalada ou importada?".

Para responder ao quiz completo, basta acessar: http://www.wwf.org.br/wwf_brasil/pegada_ecologica/calculadora.

Você vai ter uma noção de quantos planetas seriam necessários se ninguém repensar suas atitudes. E pode até receber uma bronquinha básica, como essa: "Se cada pessoa no planeta adotasse o seu estilo de vida, seriam necessárias 4 TERRAS para suprir as necessidades da humanidade. É urgente reavaliar seu jeito de viver. Seu padrão de consumo e hábitos de vida estão causando danos à vida na Terra e ameaçando o futuro. Mas não desanime, nunca é tarde para começar a mudar".


Mesmo assim, ainda dá tempo de modificar os hábitos e reverter esse quadro. A própria WWF dá dicas de como fazer isso em casa, no trabalho e na escola. Afinal, precisamos deixar o mundo em condições para que as futuras gerações não apenas sobrevivam, mas tenham condições de desenvolver vida com qualidade.

Por Priscilla Nery (MBPress)

Comente