Móveis com espelhos: claridade e leveza ao ambiente

Móveis com espelhos claridade e leveza ao ambiente

Foto: Reprodução/ My Decor

Quando se pensa em colocar espelhos numa casa ou apartamento logo vem à mente um objeto grande e com moldura estilosa pregado na parede. Mas você pode ir muito além na decoração e adornar seus móveis, como mesinhas de centro, estantes, porta-retratos e até prateleiras com espelhos.

Além de dar uma ideia de amplitude, os espelhos ajudam a clarear o ambiente. "Ele pode estar presente tanto num objeto pequeno quanto volumoso. As adaptações dependem da decoração que está sendo desenvolvida", diz Edu Longo, arquiteto da loja My Decor.

Quando o ambiente é pequeno, o morador pode incluir objetos espelhados nas paredes principais ou nos espaços com pequena circulação para ampliar a percepção do espaço. Mas evite colocar estes espelhados um de frente para o outro, para não criar uma imagem infinita de reflexão.

O arquiteto dá outras dicas: "Priorize os espaços onde não haja muita informação a ser refletida, como base superior de aparadores e criados-mudos. Lembre-se que o espelho é um coringa na decoração, duplica toda e qualquer imagem refletida."

Edu Longo comenta ainda que o espelho, por gerar reflexão, muitas vezes não leva a pessoa a enxergar o objeto em si, mas apenas a sua imagem refletida. Assim, pense bem no que você quer ver refletido nos seus móveis. "No caso de espelho em objetos será ressaltada a linha externa da composição, como os limites do objeto e os recortes internos que porventura existam", completa.

Há quem não queira usar muitos espelhos na decoração pensando na dificuldade de manutenção e limpeza. Entretanto, Edu Longo garante que esse processo é bem simples: "A pessoa deve usar produtos direcionados aos espelhos existentes no mercado, álcool embebido em flanela lisa e, por mais inusitado que pareça, folha de jornal amassada para retirar as manchas de gordura de mãos e outras marcas."

O VilaMulher fez uma ampla galeria com móveis espelhados para você se inspirar.


Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente