Mentir é humano, mas é realmente necessário?

Pequisa revela que mentir é necessário para o convívio social
mentir-hábito

Foto - Shutterstock

Você ficaria pasma se te contássemos que uma a cada 5 frases que você conta durante o dia, é mentira? Pois é. Uma pesquisa realizada pela analista comportamental Pamela Meyer, da empresa americana Calibrate, mostrou que a mentira é algo que surgiu com o processo evolutivo do ser humano. 

O cérebro não foi programado para contar mentiras, mas o faz por questões sociais. Sim, o cérebro humano se adaptou a mentir. Já imaginou a sua vida sem nenhuma mentirinha? É só se colocar na pele de Jim Carey, no filme “O Mentiroso”. A vida dele virou um verdadeiro caos.


E as mentiras existem por diversas maneiras, adaptando fatos culturais. E há também outros motivos, de simples a complexos. E é isso que deve ser levado em conta para classificar uma mentira; muitas delas ajudam a fazer o bem. A ideia toda é fazer o ser humano entender que mentir não é crime e faz parte da vida.

Os especialistas classificaram 4 tipos de mentira: aquela que existe para exaltar sua imagem, a mentira diplomática (que ameniza situações), a que evita magoar alguém; e a última é aquela que a faz tirar vantagem de situações. Em casos mais sérios e até patológicos, o mentiroso inventa histórias que ele mesmo acredita, e isso pode ser destrutivo para ambos os lados. 

Entretanto, se temos a desculpa de que mentir é normal e faz parte da nossa cultura, temos que ponderar as consequências disso. A Universidade de Amsterdã estudou 527 pessoas e concluiu que boa parte delas é honesta! 41% dos entrevistados afirmaram que não tinham contado nenhuma lorota nas últimas 24 horas, 51% admitiram de uma a cinco inverdades e 8% reportaram seis ou mais.  A pesquisa também conclui que a média de mentiras diárias gira em torno de 2 (número leve, não é?).

Segundo outra pesquisa, realizada na Universidade de Harvard, com chefes e empregados que passaram por um questionário, os chefes mostraram falar mais verdades, enquanto os funcionários tiveram maior índice de mentiras. Isso mostra que a verdade pode te levar mais longe. Mas isso não é novidade, já que muitas mães repetem o mesmo mantra desde que somos pequenos. O lance todo está em saber mentir e medir as consequências disso.  

Por Helena Dias

Comente

Assuntos relacionados: mentira pesquisa