Meditação pode melhorar a concentração e a libido

Meditação pode fortalecer o cérebro

Você sabia que anos de meditação podem ajudar a fortalecer o cérebro? É o que evidenciam novos estudos realizados na Universidade da Califórnia (UCLA), nos Estados Unidos. As pesquisas já haviam sugerido que meditar durante anos torna o cérebro mais espesso e fortalece conexões entre células cerebrais.

As novas pesquisas publicadas na revista Frontiers in Human Neuroscience foram feitas pela mesma equipe californiana revelaram ainda mais benefícios associados à prática.

Os dobramentos corticais são o processo pelo qual a superfície do cérebro se altera para criar sulcos e dobras. Sua formação pode promover e melhorar os processos nervosos. Presume-se, portanto, que quanto mais dobras se formam, maior a capacidade do cérebro de processar informações, tomar decisões e formar memórias.

O cientista Eileen Luders e seus colegas da UCLA encontraram uma relação direta entre a quantidade de dobras e o número de anos durante os quais a pessoa meditou.

Os pesquisadores fizeram exames de ressonância magnética em 50 praticantes de meditação - 28 homens e 22 mulheres. Esse grupo foi comparado a outro, de não praticantes, com idade e sexo equivalentes. Os praticantes haviam meditado em média 20 anos.

A equipe disse ter encontrado grandes diferenças na incidência das dobras em participantes que praticavam meditação.

Para os pesquisadores, a revelação mais interessante foi a correlação positiva entre o número de anos de meditação e a quantidade de dobras, especialmente em uma estrutura do cérebro conhecida como ínsula. Sabe-se que essa estrutura está associada às emoções humanas. E que lesões na ínsula podem resultar em apatia, perda de libido e alterações na memória.


O estudo apontou, dessa forma, que pessoas que meditam por muitos anos têm a parte cerebral responsável pela memória, atenção e libido muito mais forte.

Por Jessica Moraes

Comente