IAC mede gordura corporal pelo quadril

IAC mede gordura corporal pelo quadril

A Revista Obesity apresentou estudo de novo cálculo para medir o índice de gordura no corpo. Este novo conceito pode substituir o clássico Índice de Massa Corporal (IMC). Os estudos afirmam que o Índice de Adiposidade Corporal (IAC) é uma alternativa que apresenta resultados mais fiéis para quantificar a gordura corporal. Porém, os médicos debatem a eficiência desse e outros métodos, pois o novo índice pode se mostrar eficiente para detectar excesso de gordura no corpo, mas não para medir o risco de doenças cardiovasculares, entre outras questões.

Os autores do estudo acreditam que apesar dos sucessos obtidos é preciso repetir o estudo em outras populações. Essa fórmula ainda não está sendo utilizada pois os especialistas têm posições distintas a respeito dela. Por ser ainda um estudo, alguns médicos desconhecem o funcionamento desta medida na prática.

O grupo de pesquisadores da Universidade do Sul da Califórnia, nos Estados Unidos, acredita que o tamanho dos quadris é uma questão de saúde. Dentro dos parâmetros do IAC, as mulheres de cadeiras avantajadas entrariam no grupo das gordinhas que poderiam ter problemas de saúde relacionados à obesidade. Os pesquisadores acreditam que os quadris são o melhor lugar para medir a gordura geral do corpo. Foram mais de 2 mil voluntários, de origem mexicana e africana, que passaram por exames de avaliação da composição corporal.

O IAC realiza um cálculo mais complexo do que o IMC, pois utiliza medidas do quadril, além da altura. A medida é feita a partir da projeção mais posterior dos glúteos em uma linha horizontal até a região anterior do quadril, indicando se estamos ou não acima do peso.

A fórmula do IAC é o resultado da raiz quadrada da sua altura, multiplicado pela sua altura real, onde a medida do seu quadril (medida da projeção posterior dos glúteos em linha horizontal até a região anterior do quadril) então é dividida pelo resultado do cálculo inicial. O resultante deste cálculo subtraído por 18 será a pontuação que deve ser avaliada pela tabela do IAC.

Segundo a tabela, a pontuação para gordura saudável para mulheres vai de 21 a 32 pontos. De 33 a 38 pontos significa que está acima do peso e acima de 38 já é obesidade. Para os homens o peso normal está entre 8 e 20 pontos; de 21 a 25 pontos a indicação é que estão acima do peso e com mais de 25 já inclui se na faixa de obesidade.


Segundo o Dr.Walmir Coutinho, membro do Departamento de Obesidade da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia , SBEM, o IAC é um parâmetro mais acurado. "Atualmente, os médicos se baseiam no IMC para determinar quais obesos podem ser submetidos à cirurgia de redução de estômago. Nos Estados Unidos, pessoas com IMC acima de 30 podem ser operadas. No Brasil, o limite é IMC a partir de 35. Mas o índice não captura a realidade de algumas pessoas. Apesar de ter grande quantidade de gordura corporal, esses pacientes não podem ser operados porque a equação entre altura e peso não "enxerga" sua obesidade e faz com que fiquem fora dos limites recomendados pelos médicos para cirurgia. Isso ajuda a explicar por que alguns pacientes com IMC normal apresentam anormalidades associadas à obesidade, como hipertensão ou triglicéride elevado" afirmou.

O Índice de Massa Corporal (IMC) mede o índice de massa corporal relacionando o peso e a altura. Porém, não há na fórmula nenhuma medida que relacione a quantidade e a localização da gordura no corpo e não faz distinção entre músculos e gordura. Já durante a pesquisa do IAC, foram feitos raio x para localizar músculos e ossos a fim de compará-los com os resultados obtidos pelo cálculo. Os pesquisadores afirmara que o cálculo foi fiel a realidade dos corpos.

Um dos tipos mais perigosos de gordura para a saúde é a visceral, que fica depositada entre os órgãos do abdome. A gordura periférica, aquela que se acumula nos culotes, é considerada menos perigosa.

Por Catharina Apolinário

Comente