Homem distribui cartas de amor e amizade em Belo Horizonte

Este homem distribui cartas de amor e amizade como nos tempos antigos...genial!
Chá com cartas

Foto: Divulgação

Se em terra de WhatsApp ligação é prova de amor... uma carta seria uma declaração ainda maior, certo? A bonita e nostálgica escrita à mão tem todo um charme, um sentimento, uma veracidade que é realmente difícil de se reproduzir nos meios digitais. O fato é que usar a caneta no papel para se comunicar por mais que pareça antiquado é uma das formas mais bonitas de se dizer que se ama.

E é exatamente buscando este impacto positivo que o ator e publicitário Ramon Brant está espalhando cartas por Belo Horizonte através do projeto “Chá com Cartas”.

Chá com cartas

Foto: Divulgação

Chá com cartas

Foto: Divulgação

“A tecnologia tem dessas coisas. Ela aproxima os distantes e afasta os próximos. Você pode estar conversando, dentro do seu quarto, com um amigo que está do outro lado do mundo, sendo que a sua mãe está perto, na cozinha. E a carta pede que você dedique seu tempo àquela pessoa. É um resgate do cuidado”, disse Brant em entrevista ao G1.

O projeto nasceu há três anos depois de receber uma carta de uma amiga que dizia apenas: “Saudade é o amor que fica”. “Aquela carta mexeu tanto comigo que eu achei que as pessoas deveriam sentir isso também”, disse.

E para colocar em prática seu plano ele fez um post no Facebook falando: “escrevendo cartas para inverno passar de depressa. Quer receber, dê um like”. Foram centenas de curtidas e ele de fato escreveu carta para todas elas.

Chá com cartas

Foto: Divulgação

“A partir daí, eu comecei a escrever cartas anônimas e as distribuía em ruas que eu escolhia aleatoriamente. Eu escrevia instruções para que elas escrevessem uma carta para alguém querido. Aí eu dizia que o carteiro iria buscar a carta no dia seguinte. O carteiro, no caso, sou eu mesmo”, contou.

Bela iniciativa, não é? E Para celebrar os três anos de projeto, neste dia 22 de dezembro, ao meio-dia, Ramon vai escrever cartas gratuitas na Praça Sete, no centro de Belo Horizonte, e promete enviar todas.

“As pessoas acham que sou louco. ‘Escrevendo carta? Vai demorar 5 dias pra chegar!’. Mas receber uma carta é algo muito especial. É um outro tipo de conexão, de conversa. Pra mim, a carta é um objeto de arte”, disse.

Por Thamirys Teixeira Com informações do Razões Para Acreditar

Comente

Assuntos relacionados: Thamirys Teixeira artigos e cartas amor