Fotógrafa retrata comunidade de mulheres indianas

fotografiacomunidade

Foto - Karolin Küppel

Um pequeno vilarejo onde são as mulheres que estão no comando. No nordeste da Índia, país onde um novo caso de estupro é registrado a cada 22 minutos, segundo dados do National Crime Records Bureau, há um lugar em que é a lei das mulheres que impera.

No estado indiano de Meghalaya, mais precisamente numa pequena comunidade chamada Mawlynnong, a estrutura familiar é até hoje matriarcal - e as regras por lá são ditadas por elas.

Foi em busca de estudar uma estrutura matriarcal em um país de cultura tão fortemente machista que a fotógrafa alemã Karolin Klüppel, 29, se mudou para o vilarejo. "Eu fui para Mawlynnong porque queria explorar as tradições da tribo Khasi e fazer um projeto de fotografia", conta ela.

Karolin passou seis meses na comunidade com cerca de 500 habitantes. O resultado dessa imersão pode ser visto na série Mädchenland composta por 18 fotos. "Estou muito interessada nas sociedades que revelam outra relação de gênero ou que possuam uma compreensão do amor diferente da que eu conheço", explica.

"As meninas de Mawlynnong me parecem muito independentes e poderosas. Eu acredito que isso acontece porque os pais delegam muitas responsabilidades às filhas e filhos, que desempenham um papel importante na vida familiar desde jovens", explica a fotógrafa.

Enquanto o cenário na Índia continua longe do ideal, Karolin lembra que "a melhor maneira de vivermos juntos seria em uma sociedade com total igualdade de gênero".


Por Vila Mulher

Comente

Assuntos relacionados: índia fotografia estupro abuso sexual