Estupros na marinha americana estimulam campanha polêmica

Estupros na Marinha americana estimulam campanha p

Foto/ Reprodução facebook U.S. Navy

Só em 2010 foram registrados 611 ataques sexuais na Marinha dos Estados Unidos. Uma em cada cinco mulheres que fazem parte das Forças Armadas já foi vítima de estupro. Por esses dados horríveis que a Marinha americana começou uma campanha contra abusos sexuais que gerou grande polêmica na rede social Facebook.

A campanha contra os crimes de estupro começou tímida com uma ilustração em um blog feminista na internet. A Marinha publicou então um cartaz que lista algumas dicas de como se portar, mas as dicas eram voltadas aos estupradores, ou seja, para quem pratica o crime de estupro. O texto no cartaz usa de ironia para alertar sobre o problema, mas muitas pessoas não gostaram da abordagem.

O cartaz usa frases como: "Não ponha drogas nas bebidas dos outros"; "Se você estiver sozinho com alguém em um elevador, não a ataque"; "Se você não consegue deixar de atacar alguém, peça para um amigo ficar com você enquanto tiver que ficar em público"; "se você for estuprar alguém, avise antes. Se não, a pessoa não saberá que você quer atacá-la"; "Lembre-se: você não pode ter realação sexual com uma pessoa a menos que ela esteja acordada".

A repercussão do cartaz foi automática e gerou comentários diversos. Algumas pessoas usaram da mesma artimanha da proposta para satirizar a ação. Um dos comentários irônicos dizia:"Obrigado, Marinha! Agora eu não vou mais estuprar ninguém!". Outros manifestaram sua indignação com o que definiram como "brincadeira de mau gosto". Um deles dizia: "Desde quando ataques sexuais viraram brincadeira?". Uma mulher afirma que o tema não é brincadeira e que a filha dela faz parte da marinha. Já uma outra mulher afirma que não se ofende com o cartaz, elogiando ainda a ação que gera uma discussão importante. Outros questionaram a veracidade do cartaz.


A porta-voz da Marinha americana disse que a intenção com a publicação do cartaz foi de incentivar o debate do tema, que é muito sério. No final do cartaz, após as dicas irônicas para estupradores, a mensagem que fica em letras grandes é: não ataque ninguém.

Por Catharina Apolinário

Comente

Assuntos relacionados: bem estar estupro violência sexual