Dica para comprar sapatos confortáveis

Dica para comprar sapatos confortáveis

Desconforto nos pés é sinal de que algo está errado. Muitas mulheres sofrem com dores nos pés pelo uso de saltos muito altos ou até mesmo sapatos lindos, mas dolorosos.

Para evitar problemas nos pés e no seu dia-a-dia causados pelos sapatos apertados, a empresária Verônica Nagy Mastrorosa, da Rede BINNE Comfort, especializada em calçados criados para o conforto dos pés, aponta algumas dicas na hora de comprar os sapatos.

"Sapato confortável é aquele que pode ser usado o dia todo, sem causar nenhum desconforto, bolhas, calos, má circulação do sangue e do ar, problemas na coluna ou deformidade da ponta dos pés. Aquele que você esquece que está usando, que é leve, confortável e feito com um bom material", afirma a especialista.

- Faça a compra no fim da tarde ou à noite, porque o pé incha ao longo do dia.

- Veja qual dedo do pé é maior. Na hora de calçar, é preciso haver 2,5 cm de folga em relação a esse dedo.

- Nem um pouco largo, nem um pouco apertado: é preciso que o sapato esteja confortável.

- Dê preferência para calçados feitos com couro, o material ajuda na boa transpiração dos pés.

-Observe se o sapato se adapta aos dedos, estes devem ficar livres dentro do sapato, e ao calcanhar. Dê uma voltinha para ver se o calçado oferece um bom equilíbrio e ande um pouco com os calçados novos pela loja para sentir como se adaptam aos pés.

-As mulheres que gostam de saltos altos devem restringir o uso desses sapatos para ocasiões especiais.

- Experimente os dois pés para ter certeza que ambos estão confortáveis. Parece estranho, mas os pés podem variar de tamanho.

- Sandálias abertas não são adequadas para caminhar, seu uso para isso força a musculatura dos dedos. Prefira sandálias com tiras que prendam os pés ao calcanhar.


- Calçados com solas macias e absorventes podem ser mais confortáveis, principalmente se a atividade profissional o obriga o usuário a ficar muitas horas em pé.

- Lembre-se sempre que o sapato deve se adaptar aos seus pés e não o contrário.

Por Catharina Apolinário

Comente