Desapegue mulher! Aprenda deixar a vida mais leve

Desapegue mulher Aprenda deixar a vida mais leve

Foto/divulgação filme “Os Delírios de Consumo de Becky Bloom”

Já ouviu falar em desapego? Deixe ir, fluir, dizer adeus para coisas, situações, pessoas e objetos ... Isso é bonito, é legal, mas não é nada fácil. Nunca foi. Deixar fluir quer dizer fazer uma limpeza na própria vida, valores e toda transformação dói. Se ela não doesse talvez não déssemos tanto valor a ela.

O desapego é um processo muito interessante, pois nos mostra que ser humano é mais confuso do que pensa. Já notou que a gente só sente falta de algumas coisas e pessoas quando percebemos que temos de nos livrar delas? Desocupar o espaço na mente, no coração e no armário? Pois é, aí é que reside a importância disso tudo.

Se algo/alguém estava ali de canto, por que dói tanto jogar fora e dar adeus? Por que temos a tendência de querer tudo, de conservar coisas e relacionamentos dos quais não precisamos mais, que não nos fazem mais felizes apenas por posse. É bom ter tudo sempre à mão.

Pode parecer feio e egoísta, mas é assim mesmo que acontece. Não se sinta mal se você se enxerga nesse meio, você é humana e por isso está sujeita a isso. O que importa é constatar isso e começar a deixar tudo isso ir, e para sempre.

Vamos começar a falar sobre o amor, que é a parte mais difícil, pelo menos para a maioria. É duro entender que o amor acabou, e que onde havia beijos e abraços, agora há um vazio, uma distância, um nada. Preferimos nos culpar e tentar colar o que já não tem jeito. Ledo engano.

Muitas vezes, pessoas passam pela nossa vida, para nos fazer felizes, ou tristes, e nos ensinam alguma coisa, nos mostram algo e depois se vão. Às vezes é só isso mesmo. A gente precisa viver, superar e esperar pelo que virá. Nada disso existe para ser fácil, apenas acontece assim.

Existem pessoas que são para sempre? Sim, mas entre elas temos essas que passam e deixam saudades. Apenas. Não se iluda com os filmes, com as músicas ... não é porque um casal viveu 50 anos juntos que você precisa viver para dizer que a vida lhe sorriu. O importante são as emoções que você viveu, para resumir bem.

Já com os objetos podemos racionalizar melhor, e entender que cada coisa tem uma utilidade e um valor, se um desses dois se esvai, não há porque manter. Imagine a maravilha de doar, suas roupas, sapatos e livros para enfeitar a vida de outra pessoa como enfeitou a sua?

Pense nisso.


Por Giseli Miliozi

Comente

Assuntos relacionados: bem estar desapego desapegue