Dê adeus ao mau hálito

Dê adeus ao mau hálito

Uma das situações mais incômodas numa conversa ao vivo é quando um dos participantes tem mau hálito. O outro pode até disfarçar, dizer que não há problema, mas geralmente acaba se afastando, para não sentir o odor de perto. Há também aqueles que tiram sarro. O fato é que o mau hálito prejudica os relacionamentos e, embora não seja uma doença, a halitose - nome usado pelos médicos - atinge cerca de 30% dos brasileiros, segundo dados da Associação Brasileira de Pesquisa dos Odores da Boca (ABPOB).

De acordo com Arthur Castilho, membro da ABPOB e otorrinolaringologista do Hospital das Clínicas da Universidade de Campinas (Unicamp), inúmeros fatores podem causar o odor desagradável na boca: gastrites (inflamações no estômago), insuficiência renal, tabagismo, criptas (orifícios) nas amígdalas, falta de higiene e até próteses dentárias mal feitas. O jejum prolongado diminui o fluxo salivar - e por isso acordamos pela manhã com aquele gosto desagradável na boca.

Aliás, o hábito por ficar longos períodos sem comer ou de não se alimentar de fibras pode contribuir para o desenvolvimento de bactérias causadoras do mau cheiro na boca.

"Se alguém ficar muito tempo em jejum, entrará em um quadro de formação de corpos cetônicos, que geram odor", explica o médico. Ele explica que alimentos podem causar o odor ruim, mas a halitose "depende mais da pessoa que do alimento", ou seja, alguns organismos reagem bem ou mal a certos tipos de nutrientes.

Outros possíveis agentes causadores são alguns medicamentos, como os antidepressivos e remédios para diabetes, que reduzem a produção de saliva. "Se o medicamento tiver cheiro, pode ser que momentaneamente cause mau hálito. Se parte deste medicamento for exalado pelos pulmões, o mesmo pode ocorrer", diz Arthur.

Será que existe algum tratamento para o mau hálito? A resposta, na opinião do otorrinolaringologista é sim, mas "depende da origem". Os tratamentos mais comuns são higienização correta de próteses, tratamento de cáries e tratamento de gengivite. No entanto, há casos em que o paciente é mais propenso a ter mau cheiro na boca. Se a pessoa sofre de diabetes, distúrbios hepáticos ou renais, alteração da salivação, retração gengival ou fuma, pode apresentar mau hálito mesmo cuidando da higienização da boca.

E o que fazer para evitar o odor desagradável? É só seguir as dicas. "Escovar os dentes e a língua de maneira correta. No caso de prótese dentária, mantê-las limpas" aconselha o médico.


Por Priscilla Nery (MBPress)

Comente