Cuidados na hora de contratar um serviço

Cuidados na hora de contratar um serviço

A reforma da casa estava entre as promessas de ano novo. Colocar aquele piso que você viu na televisão, pintar as paredes com a cor da moda e mudar a cara dos móveis é algo que você almejava há anos. Depois de economizar o suficiente, chegou a hora de colocar em prática a meta da reforma. Conversou com um pedreiro que fez um “preçinho especial”, um marceneiro que facilitou o pagamento e um pintor que se descreveu como um artista. Todos eles prometeram fazer mágica. No entanto, a única mágica que fizeram foi desaparecer depois que você pagou um sinal de metade do total do serviço.

Como você não é perita em obras e não imaginava que pudesse levar um calote “mágico” não pensou que deveria ter tomado certas providências que garantiriam segurança antes de contratar o serviço. “Muitas vezes as pessoas não sabem com que tipo de profissional estão lidando e acabam optando pelo mais barato ou aquele que facilita na hora de pagar”, conta Márcia Christina Oliveira, técnica da Fundação Procon de São Paulo. E afirma que, muitas vezes, as promessas não passam de mentiras para iludir o cliente.

Segundo Márcia, o que acontece é que o profissional mal intencionado pega o dinheiro do cliente sem, ao menos, começar o serviço ou deixa pela metade e já inicia um novo negócio com outra pessoa, que provavelmente cairá no mesmo golpe. Outros problemas que costumam ser um entrave na vida do cliente que contrata esse tipo de serviço é o profissional sumir e levar com ele o material que seria utilizado na realização do trabalho.

leia também


É fato que não há como prever qual tipo de profissional vale a pena contratar e qual pode trazer dor de cabeça. Mas existem algumas maneiras de prevenir surpresas desagradáveis e prejuízos inesperados. “Na hora da contratação é imprescindível que se escolha um profissional que já seja conhecido ou que já tenha realizado um serviço satisfatório para alguém”, ensina Márcia.

Depois de checar as referências do trabalhador, o cliente deve solicitar um orçamento prévio. Após a aprovação é preciso fazer um contrato de serviço, em que ambas as partes estejam de acordo e cada um fique com uma cópia. Pagar antecipado também não é boa coisa, afirma Márcia. Ela sugere que o pagamento seja efetuado a cada serviço efetuado. “Se o profissional terminar a cozinha, por exemplo, ai sim deve ser efetuado o pagamento da cozinha”. Esse tipo de procedimento evita que o contratante tenha prejuízos.

O próprio cliente pode fazer um contrato, sem a necessidade de advogados ou maiores burocracias. Basta colocar o início e o término do serviço, o profissional responsável pela obra, e o material que será utilizado, além dos dados do funcionário escolhido para executar o serviço.

Se o pior acontecer, ainda existem maneiras do consumidor não sair lesado da situação. “Com o nome e o RG da pessoa contratada já é possível fazer um Boletim de Ocorrência, na delegacia. Ai a pessoa vai precisar recorrer judicialmente e ter testemunhas”, explica Márcia. Caso tenha um contrato, pode recorrer a um órgão de defesa do consumidor ou ao Procon. As instituições enviarão carta ao contratado, solicitando que termine o serviço ou devolva o dinheiro. A resposta deve vir em até 10 dias úteis. Em seguida, é aberto um processo e o caso é levado para uma audiência de conciliação.

Se por ventura o serviço não ficar pronto dentro do prazo estabelecido, e o cliente se sentir lesado, ele pode recorrer ao Juizado Civil, por danos morais. Se sentir que o patrimônio foi prejudicado, pode recorrer por danos materiais.

Vale lembrar que existem muito profissionais capacitados e honestos no mercado, mas todo cuidado é pouco. Em caso de dúvida ou reclamações procure o Procon da sua cidade. Conhecer os direitos como consumidor é o primeiro tijolo a ser colocado na construção dos seus sonhos.

Por Cínthya Dávila (MBPress)

Comente