Cores da casa influenciam estado físico e mental

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+
Cores nos ambientes de casa influenciam estado fís

Foto/ Divulgação SINTER-RJ

As cores estão por todos os lugares provocando sensações diferentes. E a cromoterapia serve para ajudar na escolha das cores para os cômodos e as vibrações delas influenciam o estado de humor e até a saúde dos indivíduos que ali vivem.

A técnica utiliza estas vibrações energéticas para obter resultados terapêuticos, já que as cores contribuem para a cura de doenças a partir das mudanças químicas que elas provocam no organismo. O terapeuta ortomolecular e presidente do Sindicato dos Terapeutas do Estado do Rio de Janeiro (SINTER-RJ), Paulo Edson Reis Jacob Neto afirma que as vibrações afetam a parte física e mental do corpo promovendo a saúde.

Segundo ele a cromoterapia utiliza apenas sete cores: amarelo, vermelho, alaranjado, azul ciano, azul violeta, azul anil e verde. Estes tons ajudam a resgatar o equilíbrio do organismo. "Cada pessoa possui um mapa de cores diferentes e por isso o tratamento é personalizado. Além disso, as necessidades energéticas de cada paciente também variam de acordo com o momento e a enfermidade que será tratada. Para saber quais são as tonalidades mais indicadas para o paciente o terapeuta faz uma série de perguntas que auxiliam o processo", explicou.

Esta terapia tem várias estratégias de tratamento e podem ser usadas cores presentes na alimentação, na natureza, nos ambientes ou em cristais, que auxiliam na harmonização do sistema corporal. O terapeuta também pode dar orientações sobre as tonalidades presentes na vida da pessoa, como as cores dos cômodos da sua casa, os tons predominantes na decoração, nos objetos e no ambiente de trabalho, de acordo com Jacob.

Ele ressalta que é necessário conhecer a vibração das cores para escolher quais tons farão parte da decoração de cada ambiente da moradia, favorecendo o equilíbrio bioenergético dos moradores. "As tonalidades estimulantes são o vermelho, o laranja e o amarelo. Já o azul, o violeta e o índigo provocam sensações de relaxamento e ajudam a acalmar em momentos de tensão e estresse. O verde contribui para a restauração do equilíbrio", destacou.

Na cozinha e na sala de jantar, podem ser usadas cores que estimulam o apetite como vermelho e o laranja. Jacob explica que estas cores não são indicadas para ambientes de trabalho, estudo ou descanso porque deixam o indivíduo agitado. "As paredes dos quartos podem ser coloridas com azul, que tem propriedades calmantes, assépticas e desestressantes, ou com o verde, que renova a energia do ambiente, acalma o sistema nervoso, equilibra a mente e traz a sensação de esperança e satisfação", ensinou o terapeuta.

O branco potencializa as demais cores e pode ser utilizada em qualquer ambiente por sua neutralidade. Mas ficar só no branco dá sensação de frieza ao ambiente. Se as paredes forem brancas o recomendado é que os móveis sejam coloridos e que haja objetos de cores vivas. "O preto e o cinza podem ser usados para contrastar com o branco, mas apenas em pequenos detalhes. Por serem escuras estas tonalidades podem provocar a sensação de pressão e depressão se forem predominantes", enfatizou.


O amarelo atua de maneira direta na mente estimulando o raciocínio, animando, inspirando e auxiliando no autocontrole. Sua utilização também se deve ao fato de favorecer a iluminação e esquentar áreas escuras, sendo a cor mais recomendada para quartos de crianças ou salas de estudo.

Por Catharina Apolinário

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente