Como lidar com a violência no trânsito

Violência no transito  como evitar

No dia a dia é comum conviver - na maioria das vezes - com a boa educação. Dando "bom dia" aos vizinhos, colegas de trabalho, pedindo "por favor" na fila do banco, dando lugar ao idoso... mas, em contrapartida, falta gentileza - de sobra - quando se trata do trânsito. Buzinas, carros parados, gente gritando e até partindo para a agressão verbal e física. Por que isso acontece?

"Muitas vezes, as pessoas vão aguentando as tensões do cotidiano de forma passiva, sem estourar. Afinal, você não pode bater no chefe, embora às vezes tenha vontade, não pode esmurrar o seu vizinho, por algo que não tenha gostado, e as tensões vão se acumulando", afirma a psicóloga Mônica Azevedo.

"Sabemos que todo ser humano precisa de uma válvula de escape, embora nem sempre esse escape seja saudável. Mas é a forma de cada um lidar com o estresse, causado pelas pressões do cotidiano. Algumas pessoas têm dor de cabeça, gastrite, hipertensão arterial e outras explodem, gritam, partem para a briga, para sentir alívio. Ficam cegas no que diz respeito a consequências", explica Mônica.


Quando isso ocorre e a situação sai fora do controle, principalmente se esbarramos com alguém mais destemperado, o melhor a fazer, segundo a psicóloga, é afastar-se, não responder a provocações, pois caso contrário, a coisa pode ficar ainda mais séria. "E se a pessoa agressiva insistir ou jogar o carro contra o seu, tente buscar ajuda da polícia, mas não parta para o enfrentamento", recomenda.

Por Jessica Moraes

Comente