Clareamento dental: mitos e verdades

Clareamento dental mitos e verdades

Ter um sorriso bonito pode abrir muitas portas, além, claro, de dar um "up" na aparência de qualquer um. Por isso, uma manchinha que apareça nos dentes se torna bem incômoda, já que deixa a pessoa desconfortável na hora de sorrir. Diante desse problema, muita gente recorre ao clareamento, para ter de novo os dentes branquinhos. Mas há quem ainda tenha receio de experimentar essa técnica, por medo ou falta de informação.

Apesar de existirem alguns mitos sobre o clareamento dentário, de acordo com especialistas, o método é seguro e pode ser realizado para clarear dentes amarelados ou acinzentados. A dentista Fátima Caldeira, proprietária do Spa Dental, em São Paulo, conta que há várias situações em que essa técnica é indicada, como envelhecimento natural dos dentes e defeitos no esmalte por fatores congênito, além de manchas por fatores externos, como o uso frequente de café, vinho, refrigerantes a base de cola, tabaco, clorofila, açaí, fluoreto estanhoso, etc. Excesso de antibióticos à base de tetraciclina também provoca manchas nos dentes, quando usado entre o quarto mês de vida intra-uterina até os sete anos de idade. Restaurações de Amálgama e tratamento de canal são outras causas de marcas nos dentes.

O clareamento pode ser realizado de duas maneiras: com um laser ou moldeira. "O primeiro é realizado com aparelhos que associam um tipo especial de luz, conhecido como LED (diodo emissor de luz) e um laser de iodo, que juntos ativam um gel formado por peróxido de hidrogênio de 35% a 50%, promovendo um clareamento mais rápido", explica Fátima. O procedimento é feito em consultório odontológico. Cada sessão dura em torno de 60 minutos, sendo necessárias geralmente de duas a três sessões.

Já a opção de tratamento com a moldeira deve ser realizada na casa do próprio paciente, sob a supervisão de um dentista. A moldeira é confeccionada de acordo com a boca do paciente e depois usada para a aplicação de peróxido de carbamina a 10% ou 12%. A substância penetra no esmalte e na dentina, liberando oxigênio, que serve para eliminar as moléculas dos pigmentos que promovem as manchas. Nesse caso, a pessoa usa o dispositivo por pelo menos 10 dias, durante quatro horas diárias.

Apesar de ser mais confortável, fazer o tratamento em casa tem suas desvantagens. "O clareamento doméstico, embora seja efetivo, possui alguns inconvenientes como a deglutição do produto, contato do produto com a gengiva podendo promover irritação, gosto desagradável e tempo maior para se alcançar o efeito desejado", aponta a dentista.

Ela afirma que ambos os métodos são eficazes, e dá a dica para quem deseja potencializar o resultado: fazer os dois ao mesmo tempo (isso custa de R$ 800 a R$ 1.300). O resultado geralmente dura de um a dois anos; depois, é bom refazer o procedimento ou pelo menos uma manutenção, com a moldeira mesmo. "A durabilidade do clareamento vai depender dos hábitos do paciente (não fumar, evitar alimentos com corantes como vinho, café, suco de uva, açaí, etc.), que deve manter sempre uma boa escovação", aconselha a especialista.

As contra-indicações para esse tipo de tratamento são para as mulheres grávidas ou amamentando (especialmente quando o procedimento é realizado em casa, pois é arriscado engolir a substância); crianças com menos de 14 anos (que ainda não concluíram a fase de mineralização dos dentes); dentes com manchas brancas; pacientes com grande perda de estrutura dentária; pacientes com problemas periodontais (inflamações ou infecções na gengiva), cáries, sensibilidade dentária.

Um mito famoso sobre o clareamento é que ele provoca câncer. "Essa informação não tem fundamento. Tanto é assim que a FDA (Food and Drug Administration, órgão americano que regula alimentos e medicamentos) e a ADA (American Dental Association) aprovam o uso das substâncias usadas nos clareamentos", desmente Fátima. "Porém, esses métodos devem ser supervisionados por um profissional capacitado", completa.

Adesivos

Quem sofre apenas com dentes amarelados, com manchas ou levemente desalinhados tem a opção de usar os "adesivos" para clareamento, bastante vendidos no exterior. "Uma das vantagens deste tratamento, é que, ao contrário das facetas convencionais, o dentista não precisa desgastar os dentes do paciente com brocas, preservando ao máximo suas estruturas naturais", diz a dentista. No entanto, é necessário ter cuidado na hora da higiene bucal e com alimentos muito duros.

Fátima alerta ainda que não adianta usar apenas cremes dentais para deixar os dentes branquinhos. "Recentemente, ficou constatado, através de uma pesquisa, que as pastas de dentes não ajudam a clarear os dentes. Elas não contêm a quantidade necessária de substâncias que fazem os dentes ficarem mais brancos".


O jeito é recorrer aos tratamentos mesmo. Mas atenção. Para não ter nenhuma surpresa desagradável, o segredo é não fazer nada por conta própria. Siga as orientações de um profissional capacitado, sempre. "É possível comprar produtos que prometem clarear os dentes até por telefone, mas isso não é aconselhável. O uso indiscriminado desses produtos pode trazer problemas como hipersensibilidade e enfraquecimento dos dentes e também à gengiva", finaliza.

Por Priscilla Nery (MBPress)

Comente