Bom humor é atitude!

Quem acha que o humor feminino é um eterno refém dos hormônios e se altera ciclicamente, em especial "naqueles dias do mês", está por fora. O bom humor pode ser uma constante na vida de qualquer mulher, pois é algo que pode ser cultivado.

Ouso dizer que nós, mulheres, somos até mais favorecidas que os homens nas condições para o equilíbrio emocional que se traduz no bom humor. Para começar, não sofremos as pressões que eles sofrem desde pequenos para serem os melhores em tudo. Não temos a obrigação culturalmente imposta de "dar certo" e, por isso, não precisamos temer o fracasso. Sem medo de fracassar, podemos ser mais autênticas em nossas atitudes, seguir o nosso coração, fazer aquilo que realmente nos dá prazer. Só aí já temos 25% dos fatores necessários para estar de bem com a vida.

Outros 25% se relacionam com a nossa facilidade em expressar as emoções. Enquanto os homens são educados para serem durões e não chorar, temos mais liberdade para externar nossos sentimentos. Nos permitimos desabafar e chorar, o que é fundamental para manter o equilíbrio emocional. Reprimir sentimentos, como se sabe, causa uma grande pressão interna que pode levar a doenças. E ninguém pode ser bem humorado sem saúde.

Outros 25% estão ligados a uma característica intrinsecamente feminina: a flexibilidade. Para a mulher, em tudo se dá jeito. Aparece alguém de surpresa para almoçar e ela bota mais água no feijão, recicla as sobras do assado da véspera, faz uma farofa rápida e pronto: o convidado é recebido com um banquete.

A mulher tem dez coisas para fazer ao mesmo tempo e não se aperta. É capaz de trabalhar fora, manter uma casa funcionando à distância, acompanhar a vida escolar dos filhos, aturar a sogra - e nem com tudo isso se esquece do aniversário de casamento. O que isso tem a ver com bom humor? Tudo. Quem tem flexibilidade não perde tempo nem se desgasta com o que não funciona; logo percebe que precisa fazer mudanças e as faz sem problemas. Quem tem flexibilidade não embirra, não fica de tromba, porque é capaz de ver oportunidades em tudo e o lado positivo das coisas. Aqui abro parênteses para fazer justiça aos homens. Não é porque estou ressaltando características femininas que eles estão condenados ao mau humor.

Estar de bem da vida não é privilégio de ninguém, muito menos possuir esses fatores que eu citei. Na verdade, vejo cada vez mais homens lidando positivamente com as pressões que sofrem, expressando abertamente seus sentimentos, sendo flexíveis. Esses atributos, que fique bem claro, não são exclusividade da mulher: existem em todo ser humano.

Voltando às nossas contas, falta falar dos 25% restantes que compõem os fatores para viver com bom humor: cultivar o riso. É cientificamente comprovado que o riso combate o stress, estimula o sistema imunológico, aumenta a oxigenação do sangue e até emagrece! Há também uma descarga de endorfina no organismo, substância que promove a sensação de bem-estar.

Quanto mais você praticar os três primeiros fatores (seguir o coração, expressar as emoções e ser flexível), mais naturalmente o riso surgirá em sua vida. Ria sempre que tiver vontade. Ria de você mesma, ria das situações que lhe acontecem, ria até das suas fraquezas. Uma risada aberta e gostosa é contagiante, é capaz até de mudar o astral de quem está por perto. Você vai ver como a vida fica leve e como o bom humor torna-se mais presente.

E se a TPM pegar você de vez em quando, siga a sigla ao pé da letra: TPM é “tempo para mim”. Cuide-se, respeite-se, e dê sempre mais atenção a si. O bom humor, além de ser um estado de espírito, é um questão de atitude!

Colunista do Vila Sucesso e Vila Equilíbrio, Leila Navarro é palestrante motivacional e comportamental, além de ser empresária e Presidente do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Capital Humano.

Comente