Beleza e vida normal após o câncer

Beleza e vida normal após o câncer

Os efeitos indesejados na aparência física causados pelo tratamento contra o câncer afetam a relação do paciente com o espelho. A queda de cabelo intensa, a mudança da coloração da pele, e em alguns casos até a perda de massa muscular são efeitos que surgem pelo uso de medicação, abalando a autoestima. "Há uma frustração ligada a isso porque essa mudança afeta a forma como o paciente se reconhece. Então, buscamos trabalhar de forma individualizada para que ele aprenda a ressignificar esse fato", explica Mariana Lima, psicóloga do Centro de Prevenção e Tratamento de Doenças Neoplásicas (Oncomed), de Belo Horizonte.

A diferença está no modo como a pessoa encara essas mudanças. " É importante trabalhar para que ele aprenda a conviver com as dificuldades e com as questões emocionais, pois sua vaidade é muito importante. É uma questão de perspectiva se agarrar ao lado bom ou de lamentar o ruim", pontua.

E foi assim que Edgard Monteiro, engenheiro mecânico aposentado, decidiu fazer após descobrir três cânceres e algumas ocorrências de trombose. Edgar nunca deixou de trabalhar, se dedicou a fisioterapia, que o ajudou a recuperar-se do problema circulatório e recuperou parte da força muscular perdida, podendo voltar para academia. "Ir até lá, estar naquele ambiente cheio de saúde é o melhor tratamento que se pode fazer", recomenda Edgard. "Fiz questão de continuar com a minha rotina para manter minha cabeça ocupada e não pensar só na doença. Quando me sentia mal, ia embora, mas nunca deixei de ir", destaca.

Exercitar-se pode melhorar o ânimo dos pacientes. "O esporte libera endorfina, hormônio que nos dá a sensação de prazer, além de nos colocar em contato com outras pessoas", afirma Paula Oliveira, a professora de educação física que atua na academia frequentada por Edgard. Porém, antes de praticar atividades físicas é preciso passar por uma avaliação médica.

Artigos para beleza

Sempre há uma alternativa para não perder o charme após passar pelo tratamento de câncer. A Associação Brasileira de Apoio a Pacientes com Câncer, ABRAPAC, dá algumas sugestões em seu site e indica lojas especializadas em produtos como perucas e próteses. Abaixo, seguem algumas dicas.

Unhas - Não se deve tirar a cutícula, mas esmaltes são liberados. E, claro, sempre há a possibilidade de optar pelas unhas postiças. Hoje existem unhas de gel, silicone, acrílico e de porcelana. Vai de acordo com o que se adapta cada mulher.

Pele - Se a pele perder coloração original use blushes e cremes para coloração, mas não exagere nas quantidades.

Próteses - Uma mastectomia pode ser necessária após cirurgia de câncer de mama, mas além da reconstrução da mama, existem outros recursos para melhor estética feminina, como próteses mamárias. Sutiã com prótese mamária é recomendado para manter a postura. A prótese deve ser confiável, segura e ventilada, além de ser do mesmo tamanho e peso da outra mama. O que proporciona o efeito estético é o sutiã, o maiô ou o biquini adequado.

As próteses podem ser de painaço (não pode molhar), silicone (não vai ao mar e piscina com cloro) ou espuma (indicada para piscinas e mar). Garantia da prótese e recomendações quanto à manutenção devem ser observadas. As próteses mamárias no mercado têm uma grande variedade de preços e modelos.

Cabelos - Lenços e chapéus são elegantes e charmosos, basta escolher a cor e o modelo que combine e se adeque ao seu visual. As perucas também são opção para quem quer cabelos, elas podem ser feitas de cabelo humano ou de material sintético, sob medida ou compradas prontas. O que vai determinar a escolha de uma peruca é o cuidado que se deve ter com ela.

As perucas sintéticas são mais fáceis de serem cuidadas por manter a forma após lavadas, mas não podem receber calor de secador de cabelos. Já as perucas de cabelo humano são bem naturais, mas precisam dos mesmos cuidados dispensados a qualquer cabelo, como o uso de secador ou chapinha e fazer um penteado a cada lavagem.


Existem perucas que são coladas no couro cabeludo, ficam presas por 20 ou 30 dias, e outras que são vestidas e podem, ou não, usar uma fita adesiva hipoalergênica, que deverá ser trocada todos os dias. Experimentá-las além de ser necessário, pode ser bem divertido. Para os homens, assumir a careca pode ser uma chance de mudar o visual.

Por Catharina Apolinário

Comente