Banho de ofurô, tradição oriental

[img=1]

Imagine-se após um dia estressante no trabalho a possibilidade de relaxar em uma banheira de água quente, comendo aperitivos e jogando conversa fora. Isso pode parecer um sonho, mas é uma tradição no Japão: o banho de ofurô.

Originário da China e muito divulgado entre os japoneses, o banho chegou ao Brasil junto com os imigrantes, que tinham em suas casas tinas de madeira para banhos de ofurô. Devido às águas termais provenientes dos vulcões, existem muitos ofurôs naturais no Japão, segundo a terapeuta Alice Keiko.

Diferentemente da banheira, onde a pessoa costuma se deitar, o banho de ofurô é realizado sentado, em posição fetal. “Isso é para lembrar o útero da mãe. A idéia é retomar o relaxamento que tinha nesse momento da existência. É o momento que a pessoa tem para estar consigo mesma”, explica a terapeuta.

O banho é feito em uma tina de madeira com água quente. A água deve estar em uma temperatura um pouco mais alta do que a do corpo da pessoa, em torno de 37º. Não pode ser extremamente quente, para não baixar a pressão. A água quente costuma relaxar e ativar a circulação.

Na clínica de Alice existem vários tipos de banho de ofurô, todos com essências jogadas na água. O ofurô de chocolate, por exemplo, oferece uma ação refrescante e estimulante. O extrato de cacau ajuda a hidratar a pele e prevenir o envelhecimento. Durante a sessão, a pessoa pode ainda degustar um chocolate.

O banho de vinhotambém é feito com degustação. O extrato e a casca da uva Itália, utilizada na água, são ricos em bioflavonóides e polifenóis, o que ajudam no combate aos radicais livres, protegem a pele e ativam a circulação sanguínea.

Existem também os ofurôs de ervas medicinais, sais da therma do Japão e saquê. Portanto, basta reservar 30 minutos do seu dia e escolher um banho para relaxar.

Fonte - MBPress

Comente