Aumento da gasolina

Aumento da gasolina

Os combustíveis estão sempre aumentando e o consumidor tem necessidade do combustível para se deslocar. Com o aumento da venda de automóveis, os combustíveis encarecem cada vez mais. E sem alternativa, as pessoas que precisam dos veículos para locomoção são obrigadas a desembolsar a diferença no preço. E a bola da vez é o aumento da gasolina.

A Agência Nacional de Petróleo Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) apontou em março dados que mostravam , naquela ocasião, que abastecer com etanol só era vantajoso nos postos de combustíveis de Mato Grosso.

Há cerca de uma semana o presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, afirmou que existia possibilidade de aumento, enquanto no mesmo dia o ministro da Fazenda, Guido Mantega, negava que a gasolina pudesse subir.

Na segunda-feira (11), Gabrielli indicou sutilmente que o preço dos combustíveis vai subir caso o preço do petróleo continue alto. Porém, o contrato para entrega em maio do barril em Nova York caiu US$ 2,87 na segunda-feira, foi para US$ 109,92. Segundo Gabrielli, a Petrobras estava trabalhando com valores entre US$ 65 a US$ 85 por barril.


O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, garante que o governo, que é controlador da petrolífera brasileira, a Petrobras, resistirá ao aumento em quanto puder. Segundo Lobão, quem tem buscado o reajuste é a Petrobras, alegando que os preços não sobem há nove anos e que a última alteração, que reduziu os preços, ocorreu há dois anos. Ainda de acordo com o ministro, a presidente Dilma Rousseff é a maior opositora do reajuste dos preços da gasolina.

Por Catharina Apolinário

Comente

Assuntos relacionados: compras consumo cidadão