Ar condicionado - consequências para a pele

Verão ou inverno ar condicionado resseca a pele

Seja no carro, no escritório ou em casa a opção para os dias mais quentes é ligar o ar condicionado. Mesmo no outuno, em algumas empresas, o dia de trabalho se dá em ambientes gelados. E quem vive isso sabe que a pele sofre com o ar ressecado e gelado.

Quando ligado por muito tempo, o ar condicionado diminui a umidade do ar deixando a pele ressecada e sem viço. "Após um dia de trabalho dentro do escritório, percebo que a minha pele fica mais áspera e seca", afirma a auxiliar administrativa Sandra Noiman. Isso acontece porque a pele humana é feita, basicamente, de gordura, cuja função é hidratá-la e protegê-la de agentes externos, até mesmo do ar condicionado.

O Cosmetólogo e Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento do Instituto Mezzo de Cosmetologia e Estética, Paschoal Rossetti Filho, alerta que uma pele ressecada pelo ar condicionado ou por outros agentes externos torna-se mais fina e pode apresentar leve descamação, além de maior tendência às rugas.

Quem fica sob o ar condicionado não deve esperar começar o inverno para recuperar a pele, mas, sim, protegê-la imediatamente. "É possível encontrar algumas opções eficazes de cosméticos com ação multifuncional. Recomendo, contudo, produtos em fluido, visto que são menos oleosos, possuem melhor viscosidade e são mais fáceis de permear na epiderme", conclui Rossetti.

Para que a pele não perca a sua proteção natural é recomendado pelo cosmetólogo o uso contínuo de produtos altamente hidratantes cuja composição seja à base de ativos multifuncionais biotecnológicos de baixo peso molecular (nanotecnologia).


"Esses ativos são considerados o que existe de mais moderno na cosmetologia, pois eles agem nas camadas mais profundas da pele, promovendo modificações fisiológicas que possibilitam a redução da formação de radicais livres, melhora do aspecto da pele e hidratação profunda, atuando direto na célula. Devemos buscar dermocosméticos ou cosmecêuticos que tratem de fato a pele e não proporcionem apenas o efeito momentâneo chamado de Efeito Cinderela", explica Rossetti.

Por Catharina Apolinário

Comente