Amizade faz bem pra saúde

Amizade faz bem pra saúde

Penha Cristina Batista e Lenina Leal em 1990 e em 2009. Foto: arquivo pessoal.

Amigo é sempre bom. Para dividir a alegria ou a tristeza, para dar abraço ou colo, e até para ajudar a lembrar do que é realmente importante. Afinal, amigo que é amigo vibra junto, mas também puxa a orelha quando deve. Hoje, mais do que qualquer outra data, trate de ligar ou mandar um e-mail para quem mora do lado esquerdo do peito: é o dia do amigo!

Além do bom sentimento que sempre fica no coração, a amizade tem outra função importante. Ela faz bem para a saúde! Estudos realizados na Austrália, por exemplo, revelam que a amizade é fundamental para o bem-estar psíquico. Segundo a pesquisa, contatos sociais geram efeitos positivos tanto sobre a saúde física quanto a mental. E foram constatados benefícios práticos em casos de doenças cardiovasculares e pressão alta, além de melhorias no humor e na auto-estima. Segundo os dados, ainda, pessoas com uma rede de amigos vivem 22% mais tempo do que aqueles que se isolam. Na Universidade de Los Angeles, na Califórnia, outro estudo descobriu que a amizade entre as mulheres, por exemplo, contribuem até para o fortalecimento da identidade.

A ciência comprova mesmo que as emoções e os sentimentos que uma amizade gera no organismo são capazes de melhorar o sistema imunológico, proporcionando sensações de prazer e bem-estar. “Com o sistema imunológico em equilíbrio, diversas patologias ficam ‘bloqueadas’. Dessa forma, impedimos que doenças auto-imunes nos atinjam”, afirma a psicóloga Liliana Seger.

E parece que a fórmula funciona mesmo. Durante um ano, a psicóloga Tânia Torres manteve em seu consultório, no Rio de Janeiro, o grupo ‘Amigos Positivos’, composto por pacientes portadores do vírus HIV. Em encontros que aconteciam semanalmente, eles compartilhavam angústias e ajudavam uns aos outros a escapar da depressão. “Os soropositivos ficam muito frágeis e precisam de amigos para ajudar a levantar a auto-estima. As mulheres, principalmente, ficam especialmente afetadas com relação à libido e a sexualidade, e esse apoio dos amigos é fundamental”, afirma.

Com a auto-estima no lugar certo, o tratamento fica facilitado e a desesperança frente à cura diminui. Hoje, quem participava desse grupo continua com a amizade a todo vapor e ainda mantém encontros semanais, para manter acesa a chama do companheirismo.

A importância dos amigos

Penha Cristina Batista, 42 anos, decidiu começar a malhar por incentivo da amiga Lenita Leal, 40. As duas vão juntas para o trabalho e também até a academia Contours do centro do Rio de Janeiro, quase todos os dias.

Elas se conhecem há mais de 20 anos e, sempre que podem, programam até férias lado a lado. “A Lenita é amiga para todas as horas. Como é madrinha da minha sobrinha, já faz parte da minha família”, conta Penha.

A amizade delas começou quando ainda eram vizinhas e, mesmo não morando mais tão perto, continuam se vendo sempre. Elas são solteiras e adoram sair pra se divertir. Mas quando a situação aperta, também estão sempre por perto, para garantir o conforto da melhor amiga. “Tudo que é bom faz bem. O mesmo vale para a amizade. A gente ri muito e sempre fazemos bem, uma para a outra”, se derrete Lenita.

Outra que lembra como os amigos já mudaram mesmo a cara da vida é a veterinária Joana de Azevedo, 25 anos, mudou de cidade há menos de um ano e deixou longe os amigos de infância. Na nova casa, achou que o mundo ia acabar até que descobriu que a amizade nasce quando menos se espera. “Conheci uma turma nova, no trabalho, e parece que tudo melhorou. Eu me arrastava em casa antes, sem meus amigos. Agora, difícil é eu ficar em casa”, conta. O namorado dela, Rodrigo, agradece todos os dias aos amigos de Joana. “Eu não sabia mais o que fazer para agradar. Ela precisava mesmo de uma turma e agora é bem mais feliz”.


Por Sabrina Passos (MBPress)

Comente