Acessibilidade a arte no Memorial da Inclusão

Acessibilidade a arte no Memorial da Inclusão

O Memorial da Inclusão, em São Paulo, oferece a portadores de deficiência visual a possibilidade de admirar a arte de Cândido Portinari. Através do toque, o visitante pode tatear as obras sentindo as formas e linhas das pinceladas do artista. A exposição itinerante que vai até 24 de março recebe a obra Santo Antônio, de Portinari e oferece acessibilidade a pessoas portadoras de deficiencia visual.

A obra que pode ser tocada é uma reprodução da obra do artista, adaptada e em relevo para ser tateada pelos visitantes. Com o toque nota-se a superfície do tecido, as formas do terço, do cordão e a textura do cabelo de Santo Antônio.

Além desta tela duas maquetes elaboradas pelo Museu Casa de Portinari, de Brodowski, também estão em exposição e podem ser tocadas. Uma delas reproduz a disposição espacial do museu e a outra possibilita conhecer a Capela da Nonna, com relevo dos santos pintados por Portinari e sua avó. Imagens tridimensionais de cada um dos santos em relevo na capela foram disponibilizadas para serem tocadas.

A Pinacoteca do Estado também forneceu duas reproduções para toque. Uma pintura de Tomie Ohtake e outra de Arthur Timótheo da Costa, ambas feitas em resina branca e borracha texturizada de alto contraste. O objetivo é aguçar a percepção dos deficientes visuais.

A idéia de trabalhar as obras com acessibilidade se tornou um projeto da Secretaria Estadual da Pessoa com deficiência para os museus públicos paulistas. Inaugurado em 03 de dezembro de 2009, o Memorial da Inclusão reúne fotografias, documentos, manuscritos, áudios, vídeos e referências aos principais personagens e às iniciativas voltadas às conquistas das pessoas portadoras de deficiência. O espaço aborda cada uma das deficiências: visual, auditiva, intelectual e física.


Uma versão virtual do Memorial da Inclusão foi inaugurada, onde é possível ouvir a descrição do Memorial e passear por seus painéis. O Memorial da Inclusão fica na Avenida Auro Soares de Moura Andrade, 564 - Portão 10 - Barra Funda - São Paulo.

Por Catharina Apolinário

Comente

Assuntos relacionados: arte acessibilidade