A moda de trocar de casa

A moda de trocar de casa

“The Holiday” – O Amor Não Tira Férias. No filme, as personagens usam os serviços do site para trocar de casa. Foto/Reprodução IMDB

Viajar e gastar pouco, esse é o sonho de todo o brasileiro. Sonho que graças ao TrocaCasa.com, pode ser realizado!

O principal objetivo deste projeto é adicionar constantemente novas possibilidades de troca de casas no mundo inteiro, ou seja, você viaja, mas ao invés de ir para um hotel, gastar com diária, táxis e restaurantes, se hospeda na casa de um estrangeiro, com total liberdade para comer, tomar banho e até usar o carro.

As trocas podem ocorrer em simultâneo ou em datas diferentes, o número de pessoas envolvidas na troca não tem que ser exatamente igual, bem como o número de dias. Tudo depende daquilo que os membros combinarem entre si.

Conversamos com o administrador e responsável pelo site, António Batista, que nos contou um pouco mais: "São mais de 40.000 membros em mais de 140 países e é a maior rede de sites em 16 línguas". Sobre o site, Antonio afirma: "Temos ferramentas sofisticadas e de fácil utilização, serviço de apoio ao cliente na própria língua, possibilidade de enviar 100 propostas de troca de uma só vez através do site, e claro, nenhuma informação pessoal é mostrada, além de possuírmos o motor de pesquisa invertida para encontrar o parceiro de troca ideal".

Entre esses 140 países que integram o TrocaCasas, destacamos Estados Unidos da América, Canadá, Austrália, França, Itália, Espanha, Portugal, Brasil, além de vários outros.

Apesar dessa idéia parecer nova para muitas pessoas, o conceito de troca de casas ou de apartamentos nasceu nos anos 50, como conta o curador do site: "Foi por iniciativa de professores que desejavam viajar a baixo custo durante as férias escolares e era inicialmente desenvolvido nos países anglo-saxões, mas o conceito ganhou adeptos ao longo dos anos e hoje conhece um sucesso crescente no mundo inteiro".

O que mais impressiona é o progresso global que estourou na rede do site. De acordo com António, o número de mebros quadriplicou largamente em cinco anos. Em fevereiro de 2006, o site contava com 9.000 membros; no mesmo mês de 2011 o número era de mais de 40.000 usuários. E essa multiplicação dos números pode ser consequência das várias vantagens que o projeto possui, veja só:

- Viajar de férias para qualquer parte do mundo sem gastar mais do que se estivesse em casa;

- Conhecer a cidade, região ou país como um habitante local;

- Laços de amizade que se criam;

- Desempenho das várias versões (da rede) que ajudaram a espalhar o fenômeno a nível mundial;

- Destaque na imprensa ao redor do mundo;

- Conjuntura econômica da sociedade, atualmente favorável.

E mais do que isso, as sondagens mostraram que, após a sua primeira troca, a maioria dos membros dizem que os principais benefícios são os seguintes:

- Poupar Dinheiro: a inexistência de despesas com hotel, redução drástica de gastos com a alimentação e frequentemente um carro "gratuito" fazem com que as férias não fiquem mais caras do que permanecendo em casa. Muitas das trocas poupam aos membros milhares de euros, e para muitos, essa é a principal razão.

- Experiência Cultural: a troca de casas permite ao viajante viver como um habitante local e não como um turista. Uma experiência na qual se pode comprar nos mercados locais, ter encontros com os vizinhos e absorver a cultura deles de dentro para fora. Muitas vezes as amizades criadas ficam para toda a vida.

- Conforto: as pessoas com experiência de trocas sabem que não há comparação possível entre o conforto e espaço de uma casa em relação ao hotel.

E sem dúvidas, a maior procura veio devido à estréia mundial do filme "The Holiday" - O Amor Não Tira Férias - da realizadora Nancy Mayers, que utilizou os serviços do site e resolveu levar para a tela. No filme duas mulheres (Cameron Dias e Kate Winslet) trocam suas casas (EUA e Inglaterra) a fim de mudar de ares. As duas acabam se apaixonando e mostram como foi a experiência que durou alguns dias.


Achou interessante? Quer experimentar? Depois de fazer o cadastro no site basta escolher o tipo de filiação que prefere. No caso da filiação prata anual, o valor é de 35,40 eros. Caso opte por uma pela filiação trimestral, o valor é de 17,85 euros

António explica: "Uma vez cadastrada não tem que pagar mais nada independentemente do número de trocas que vier a realizar e ainda garantimos que caso um membro com Filiação Prata Anual não concretize uma troca durante o seu 1º ano de Filiação, o 2º será gratuito".

Fácil, prático e barato. Agora é só fazer o cadastro e ir preparando as malas. Sem preocupações e dores de cabeça, embarque nesta onda!

Por Alessandra Vespa (MBPress)

Comente