Uso de gordura é tendência na cirurgia plástica

gordura

Shutterstock

O uso de gordura está se tornando uma tendência na cirurgia plástica. Indesejada em alguns lugares (como no abdômen, por exemplo) a gordura pode rejuvenescer o rosto, corrigir pequenos desníveis em implantes de próteses de silicone e melhorar o contorno corporal com lipoesculturas, entre outras mudanças.

"Existem fortes evidências de que as células-tronco da gordura favorecem os enxertos", afirma Fernando Prado, presidente da Regional SP da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

Bastam cerca de 40 ml para obter resultados expressivos no rosto. Os enxertos servem para amenizar marcas de expressão e rugas, restaurar a perda de volume facial, dar mais evidência aos lábios ou às maçãs da face, além de corrigir o bigode chinês (sulcos em torno da boca).

Os enxertos no rosto têm duas grandes vantagens. Primeiro, o material usado não provoca rejeição e, desde que a aplicação seja bem feita, o aspecto será bastante natural. Segundo, o procedimento pode ser realizado no próprio consultório, apenas com anestesia local, e o tempo de recuperação é pequeno.

Esse tipo de procedimento começou a se tornar mais popular com as lipoesculturas, onde a gordura é retirada da região abdominal e inserida nos glúteos. Isso melhora o contorno corporal de uma forma mais natural, sem a necessidade de implantar próteses nos glúteos (gluteoplastia).

Como a gordura passa por um processo de purificação antes de ser novamente inserida no corpo, ela se torna rica em células-tronco. Acredita-se que isso favoreça o aumento da massa muscular na região, desde que a pessoa não seja sedentária. Assim, o resultado tende a ser mais duradouro.


Por Vila Mulher

Comente

Assuntos relacionados: cirurgia plástica gordura notícias