Princípio ativo de semente de linho remodela o rosto

Com certeza o envelhecimento é o pior inimigo de uma mulher. Por isso, o mercado de cosméticos investe cada vez mais no desenvolvimento de produtos que mantenham a saúde e jovialidade da pele por mais tempo. Outra preocupação dento dos fabricantes é utilizar produtos à base de matérias-primas naturais, que além de eficientes, são ecologicamente corretas e não causam nenhum malefício à saúde.

Para quem adora uma novidade, chegou o Sculptessence, um remodelador cutâneo que tem como principio ativo um derivado da semente de linho, capaz de fazer milagres pela sua pele no prazo de seis semanas.

Certificado pela Ecocert, selo francês que comprova a eficácia do produto, o método de rejuvenescimento não invasivo proporciona o redesenho do rosto, pois sua fórmula age diretamente nas desordens que causam o enfraquecimento natural ocorrido na pele. Fantástico, não?

De acordo com estudos publicados, já é comprovado que o envelhecimento cutâneo está relacionado com os níveis de mudanças que ocorrem nos mecanismos moleculares da epiderme, como a perda de proteínas que mantém a pele firme.

Segundo Mika Yamaguchi, farmacêutica e consultora técnica da Biotec Dermocosméticos, o Sculptessence foi desenvolvido com poliosídeo, quer dizer, única molécula capaz de armazenar uma grande quantidade de água, que protege contra degradação do colágeno, além de estimular a força, a resistência, a flexibilidade e a elasticidade da pele. Ou seja, as alterações sofridas pelo tempo podem ficar estacionadas ou serem reparadas, com a utilização de ativos capazes de proteger a pele contra o envelhecimento.

Por Paula Perdiz

Comente

Assuntos relacionados: rosto cosméticos mika yamaguchi vila batom