Power paper, adesivos contra rugas

Power paper adesivos contra rugas

Quando você acha que já inventaram tudo para a pele, a tecnologia dá as mãos à medicina e inventa adesivos elétricos para tonificar, esticar, suavizar linhas de expressão. Já pensou?

A novidade atende pelo nome de Power Paper Adesivos Cosméticos. E segundo os produtores, eles fazem mesmo milagre - e rápido. O material de divulgação fala em apenas 20 minutos, duas ou quatro vezes por semana, para os primeiros resultados.

Esses adesivos possuem uma "bateria" de baixa voltagem (3V) impressa no papel mesmo. "Ele é baseado no princípio iontoforético. Iontoforese é um procedimento sem dor que usa corrente elétrica moderada para levar componentes ionizados até os tecidos. Esse mecanismo inclui transformação na camada superficial da pele, melhorando até a circulação", explica Zvika Nitzan, chefe de tecnologia da Power Paper.

Entre os benefícios garantidos pelo produto está o acúmulo de ativos biológicos na pele, acelerando o metabolismo e potencializando a produção de colágeno e das células de reposição. "Ele ainda ajuda no tratamento de desordens da pele como manchas, acne e rugas. O adesivo anti-ruga, por exemplo, diminui os sinais da idade e as linhas de expressão e aumenta a firmeza da pele", garante.

Todo mundo pode usar os adesivos, a menos que possua alguma lesão na área que deseja aplicar. "Pele seca, normalmente apresentada entre 25 e 30 anos, respondem mais significativamente ao tratamento com os adesivos", indica Zvika.

O adesivo pode gerar "cócegas", por conta de sua atividade na pele. Há possibilidade de vermelhidão, causada pela aceleração na circulação sanguínea. "Mas fizemos testes com centenas de usuários e nunca vimos reações adversas", diz.

Vele lembrar que o adesivo não é medicamento e, portanto, não precisa de aprovação do FDA (órgão americano que regula drogas e alimentos) para ser comercializado. "Ele um produto cosmético que vem sido distribuído nos EUA desde 2005, pela Estée Lauder e outras companhias", frisa Zvika.

[galeria]

O produto está disponível em duas configurações - eletrodos coberto com hidrogel e secos - e em várias formas. Quem precisar, pode pedir ainda formatos especiais. Ele pode ser aplicado em casa, sem ajuda de médico.


No Brasil, ele é encontrado por meio da Biotec Dermocosméticos, que distribui para a indústria R&D Cosmetic. Segundo a assessoria da empresa, ele é registrado pela Anvisa e vendido em farmácias de manipulação de todo o país, há quase dois anos. O custo para o consumidor depende de cada estabelecimento, mas pode variar entre R$ 30 e R$ 45.

Por Sabrina Passos (MBPress)

Comente