Neurocosméticos? Entenda o que é isso

Neurocosméticos Entenda o que é isso

Neurocosmético Givenchy. Foto: divulgação.

Não bastassem todos os benefícios já prometidos - e, sejamos sinceras, cumpridos - pelos produtos da indústria cosmética, surge no mercado um novo conceito quando o assunto é tratamento de beleza. Os cosméticos euforizantes - beauty mood - fazem parte de uma linha que garante, a partir de creminhos para o rosto, atingir os nervos. São os neurocosméticos.

A novidade une psicologia e estética, com ingredientes que atuam direto nos neurotransmissores e, aí, podem desencadear as sensações mais diversas. Muitos prometem até melhorar o humor e a qualidade do sono, dando outro sentido à historinha infantil "A bela adormecida". Há fortes indícios de que esse tipo de produtos age ainda sobre o estresse.

A neurocosmética se baseia no fato da pele ter receptores para neurotransmissores. Isto quer dizer que substancias químicas que normalmente servem para agir no sistema nervoso, transmitindo impulsos e sensações (endorfinas, por exemplo, que são moléculas geradoras de prazer e bem estar produzidas pelo cérebro em algumas ocasiões como quando comemos chocolate, fazemos exercício ou sexo), podem ser captadas e agir também na pele.

E é daí que vem, segundo a dermatologista Ligia Kogos, a inegável ligação, que na prática, já se sabia haver entre a pele e o sistema nervoso, com estados como estresse, tristeza e felicidade, interferindo no estado cutâneo. "As endorfinas de nosso organismo estão em conexão com nossos momentos felizes, dando sensação de euforia, felicidade, ânimo, resistência à dor, calma, aumento da imunidade. São secretadas inclusive por exercícios físicos e luz do sol", relata. "O sistema nervoso e a pele tem a mesma origem embrionária e encontraram receptores para endorfinas também em duas das camadas da pele. Isso explica a grande relação entre pele e estresse, por exemplo, por meio de seborreia, acne, coceira", completa o também dermatologista Mauro Nemirovsky de Siqueira.

Ligia explica que certas plantas contêm substâncias de ação semelhante às endorfinas humanas, sendo também captadas pelos receptores da pele. As "fitoendorfinas" promoveriam revitalização e rejuvenescimento da pele, reduzindo estados de irritação, inflamação e desgaste. ‘"Os produtos são derivados vegetais - pequenas cadeias de peptídeos muito parecidos com as endorfinas, mas sem relação com hormônios anabolizantes, feminilizantes, de tireóide ou de crescimento!", garante Mauro. "Elas combatem o desgaste e previnem, ainda que parcialmente, a neurodegeneração que ocorre pelo envelhecimento natural", afirma Ligia. Os produtos com esses agentes não tem hormônios e sim substâncias que agem como neurotransmisssores. "Não pretendem deixar a pessoa alegre e sim a pele luminosa e cheia de vitalidade, como se a pessoa estivesse feliz e descansada".

Hoje três substâncias deste grupo estão sendo usados pelos dermatologistas em cremes para tratamento da face: Happybelle, Endorphin e Neuroxyl. Combinados com outros ativos, dão aos médicos um novo mundo de possibilidades quando o assunto é driblar o envelhecimento no seu componente mais misterioso: o sistema neurológico-hormonal. "As tais fitoendorfinas são absorvidas pela pele e podem chegar o cérebro onde terão ação parecida com a endorfina, podendo predispor ao bem-estar. Mas mais estudos são necessários para comprovar isso e as quantidades para obtenção desse efeito", finaliza Mauro.

Produtos

O Instituto de pesquisas Mintel tem uma divisão de beleza e levantou as tendências no assunto para apresentar numa feira, no início do ano. Entre os produtos encontrados por ele está o francês "05 Rêver Redensifying Night Cream", da Six La Beauté a Six Besoins Vitaux. Segundo os produtores, a pele tem necessidades específicas para ser bela, tanto físicas (como respirar, por exemplo), até emocionais (como rir e sonhar). Esse creme noturno promove as duas coisas, já que contêm hidratantes e ativos de proteção, como ácido hialurônico, além de ativos para estimular a serotonina - nosso neurotransmissor da felicidade.

Outro produto listado pelo Mintel é o "Psy Derma Enlightment Day Moisturising Treatment", da Linda Papadopoulos. O creme, vendido na Inglaterra, também quer relacionar psicologia ao cuidado da pele. Segundo os produtores, tem a capacidade de estimular a transferência de informação através da membrana que separa os lados direito e esquerdo do cérebro. Promete ainda potencializar a produção de serotonina e dopamina, criando um estado de bem estar e reduzindo o estresse.

O americano "Chromotherapy Renewal Active Foaming Moisturizer", da Kroia, se baseia em cromoterapia, afirmando que a vibração das ondas coloridas harmoniza corpo e mente, principalmente se balanceada com as ‘energias naturais’ de óleos essenciais, frutas, extratos de plantas e pedras ou cristais. As linhas são amarela (para energia), rosa (anti-idade) e azul (calmante).

Do Japão, a opção é o "Nail Oil Set", da Mukaibara Shoji Uka, feito com cinco óleos de diferentes texturas e aromas. A ideia deles é oferecer produtos para cada momento do dia. O para uso noturno, por exemplo, promete fazer você voltar à infância e dormir muito bem.

O "Le Soin Noir", novidade da Givenchy encontrada aqui no Brasil, é feito a partir da seiva de uma alga negra, encontrada no oceano, e promete tratamento anti-idade potente. Mas, além de restaurar o aspecto da pele, cria a sensação de bem-estar, a partir da fragrância de frutos de água e flores brancas com notas quentes de sândalo e baunilha.

Já a Guerlain tem uma linha toda de anti-rugas baseada no "Happylogy". O tratamento noturno "Issima Happylogy Night Soin Réveil Radieux" promete liberar a pele das tensões, iluminar o rosto e alisar as primeiras rugas, descansando as linhas da face. Segundo os produtores, provoca uma incrível sensação de bem estar e alívio. Entre outros produtos de marcas internacionalmente famosas estão o "HappyDerm", da L’Oreal, o "HydraZen", da Lancôme e "Pureté Thermale Calming Cleansing Solution", da Vichy.

[galeria]

Aqui no Brasil, o destaque é para o "Emulsão Facial Sensoativa Ciclos" da Racco - uma das precursoras do conceito neurocosmético no mercado nacional. O ativo exclusivo, neurociclopeptídeo, é uma junção de duas ações neurocosméticas - cronorreversora e sensação de prazer - que atuam por meio de estímulos, fazendo a comunicação direta com as células nervosas da epiderme. Ele estimula a liberação de endorfina na pele, substância responsável pela sensação de prazer. O resultado é, além de uma pele mais firme e diminuição, uma sensação de felicidade que se reflete em um rosto mais vitalizado e radiante.


A Johnson’s também entra nessa onda de combinar tratamento da pele e da mente. No ano passado, colocou no mercado uma loção hidratante, da linha "Pele dos Sonhos", com uma fragrância AromaRelax, que promete ajudar a relaxar a pele profundamente.

Por Sabrina Passos (MBPress)

Comente