Melasma: causas e tratamentos

Melasma causas e tratamentos

Seria ótimo se a gente tivesse uma pele de bebê para sempre, não é mesmo? Mas infelizmente, não é isso que acontece. Cravos, espinhas e manchinhas nos afligem ao longo da vida, especialmente no rosto. A boa notícia é que essas marcas tão incômodas têm tratamento na maioria das vezes, mesmo quando são mais visíveis, como em casos de melasma.

"Melasma é o nome dado à ocorrência de manchas escuras na face, sobretudo em mulheres, de distribuição simétrica na área malar (bochechas) e que pioram com o sol", define Flávia Addor, dermatologista vice-presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia - Regional São Paulo (SBD-SP).

As mais afetadas por esse problema são mulheres entre 20 e 50 anos, em especial - por uma predisposição genética - as de pele dourada, morena ou mulata. Mas, em países como o Brasil, até as branquinhas podem sofrer com as manchas, devido à alta miscigenação. "O melasma pode ser desencadeado pelos hormônios femininos aumentados (estrogênicos) - por isso é mais comum em gestantes e usuárias de anticoncepcionais - e pela exposição solar", completa Flávia.

O melasma merece atenção, já que nossas mulheres têm grandes chances de desenvolvê-lo, principalmente da região sudeste até o norte do país, por causa de uma delicada combinação: pele mais escura e sol. "As manchas são o preço alto da exposição solar, resultado do acúmulo de melanina, o pigmento castanho que se forma estimulado pela luz solar. As brasileiras, na maioria de pele dourada, são alvos frequentes deste verdadeiro ‘efeito colateral’ do bronzeado", alerta a dermatologista Ligia Kogos.

Porém, não é somente na presença do sol que as mulheres devem se preocupar as marcar escuras. Flávia afirma que "a radiação que é a principal responsável pelo melasma não é ultravioleta B, mas o A (presente durante o dia inteiro) e mais recentemente, comprovou-se que a luz visível também desencadeia um papel importante".

Além da combinação que deixa boa parte da nossa população mais vulnerável, existem hábitos estéticos que favorecem o aparecimento de melasma, como aponta Ligia. "Traumatismos constantes como depilação por cera também podem ser uma das causas das manchas espalhadas pela face, assim como esfoliações sem a devida proteção solar".

Para tratar as marcas, existem vários produtos e métodos. Nos casos mais simples, bastam a proteção da radiação solar e o uso de clareadores. Peelings de ácidos, luz intensa pulsada e mesmo laser, todos realizados pelo dermatologista, podem ser tentados nos casos mais difíceis, "mas os resultados são variáveis, e, por isso, devem ser analisados cuidadosa e individualmente, partilhando os benefícios e riscos com a paciente", diz Flávia.

A seguir, Ligia explica as principais substâncias usadas para o tratamento do melasma, e alguns procedimentos que devem ser feitos por dermatologistas:

Produtos

- Filtro solar diariamente, já no hidratante, logo pela manhã! Fator de proteção entre 10 e 15 é suficiente na cidade. Para praia, piscinas e esportes, prefira filtros à prova d’água com FPS 45 ou 60 no rosto.

- Vitamina C, - cremes e seruns contendo esse poderoso anti-radical livre conferem resistência da pele ao dano solar. A vitamina C clareia e refina, revertendo parte do desgaste. Podem ser aplicados a qualquer hora, isoladamente ou junto com hidratantes e nutritivos.

- Hidroquinona+ Ácido retinóico - Fórmulas feitas com estes componentes a serem usadas 3 ou 4 vezes por semana, em casa, pela própria pessoa, são de primeira escolha para o tratamento de manchas. A concentração dependerá do tipo de pele, profundidade da mancha e fatores individuais. Causam descamação e deixam a pele levemente rosada. Usados exclusivamente à noite, a partir do fim do verão, são receitados numa consulta simples ao dermatologista.

- Dexametasona - corticóide usado em conjunto com outros clareadores nas formulações dermatológicas, muito eficiente na eliminação dos melasmas.

Procedimentos especiais:

- Microcauterização Salpicada: um aparelho delicado, com ponta muito fina e precisa que emite carga elétrica gerando energia térmica. Vai-se cauterizando salpicadamente toda a superfície da mancha. Formam-se crostas que caem após 8 dias. Normalmente são necessárias de 2 a 3 sessões espaçadas a cada 30 dias.

Peelings:

- Peelings de Retinóico - O rosto descama por 1 semana, mas a descamação pode ser disfarçada com cremes hidratantes.

- Peeling de Jessner - Deixa rosto acastanhado e áspero por 1 semana, a descamação é bem visível por 8-10 dias, difícil de ser disfarçada.

- Quantum (Laser + Luiz Intensa Pulsada) - O aparelho Quantum é atualmente o mais usado para resolver as manchas avermelhadas do pescoço, que até então representavam um problema de difícil resolução com ótimo resultado. É útil também para melanoses.


- Starlux - um novo equipamento que combina a tecnologia ablativa com luz pulsada para atingir as camadas mais profundas da apele, onde se deposita a melanina resistente aos tratamentos mais comuns.

Por Priscilla Nery (MBPress)

Comente