Fonoaudiologia no combate as rugas

Fonoaudiologia no combate as rugas

Nada de botox, plástica ou tratamentos estéticos mirabolantes. Você sabia que é possível amenizar rugas com Fonoaudiologia Estética? A técnica é a seguinte: através da mudança na movimentação dos músculos envolvidos nas funções de mastigação, deglutição, fala e mímica facial, é possível atenuar as marcas no rosto.

A fonoaudióloga Silvia Manzi explica que o controle da mímica facial é um dos aspectos trabalhados na terapia fonoaudiológica com enfoque em estética. Assim como a alegria, as manifestações de tristeza, raiva e de surpresa ficam estampadas em nosso rosto em função da contração dos músculos (mímica facial), o envelhecimento e a repetição desses movimentos faciais favorecem o aparecimento das linhas de expressão e de rugas.

Yasmin Frazão, fonoaudióloga que trabalha com Silvia, explica que não se trata de uma ginástica facial. "Acreditamos que os exercícios conhecidos como ginástica facial, repetição de um mesmo movimento com determinados grupos musculares da face, tem efeito limitado para atenuar os sinais de envelhecimento". De acordo com as fonoaudiólogas, esses exercícios apenas aumentam a contração dos músculos faciais, porém não reorganizam sua movimentação de forma funcional. "Na abordagem fonoaudiológica, procuramos reequilibrar as contrações dos músculos faciais ao usá-los para falar. Com isso, além da movimentação facial ficar mais harmônica, evitamos e/ou atenuamos as rugas e sinais de expressão", complementa Silvia.

Silva explica que a técnica, boa opção para quem não tem coragem de enfrentar tratamentos mais invasivos, funciona realmente como um tratamento com indicação de 12 sessões. "A idéia é ensinar os movimentos corretos para que a pessoa aplique no dia a dia. É essa repetição que trará a suavização das rugas. Mas a partir da oitava sessão já é possível notar alguns benefícios".

O passo inicial para o controle da mímica facial é a conscientização das contrações musculares inadequadas e exageradas enquanto falamos. Os grupos musculares da face devem atuar de forma integrada: enquanto alguns se contraem, outros devem ficar relaxados. "As expressões faciais sempre estarão presentes, o que não podemos fazer é exagerar nas contrações para não marcar a pele", explica. Além da conscientização, recursos como alongamento, inibição muscular, mudanças na entonação vocal, em substituição ao uso exagerado dos músculos faciais durante a fala, também são utilizados. "Depois das sessões a pessoa deve continuar aplicando o que aprendeu, fazendo massagens, alongamentos, exercícios e praticando a mastigação corretamente".

A fonoaudióloga explica ainda que uma idade boa para fazer esse tratamento é a partir dos 35 anos, quando as rugas começam efetivamente a aparecer. Para pessoas que tem alguma alteração, como por exemplo, mastigar somente de um lado ou engolir a comida de forma incorreta, a dica é começar imediatamente, independentemente da idade que tenha, pois esses comportamentos aceleram o aparecimento de rugas.


Silva conclui dizendo que é importante destacar que o efeito não é imediato, mas os resultados são muito bons.

Por Larissa Alvarez

Comente