Dicas e produtos para remover as células mortas do rosto

Dicas para remover as células mortas

O verão acabou, mas os danos que ele causa à pele podem permanecer durante as demais estações. Estas lesões, se não tratadas, podem se agravar em decorrência dos demais climas, como outono ou inverno.

Um dos principais danos do verão para a apele é o aumento do metabolismo das células que gera aumento da taxa de renovação celular. Para que este processo não ponha em risco a saúde e beleza do nosso rosto é preciso esfoliar a cútis para retirar as células mortas.

É preciso ter cuidado com a frequência com que limpamos e esfoliamos a nossa pele facial. Quem tem pele oleosa deve lavá-la com um produto específico pela manhã e à noite. Se sentir necessidade, uma terceira limpeza no meio do dia não faz mal. "Quanto à esfoliação a frequência recomendada varia entre duas vezes na semana e a cada quinze dias, dependendo das características de cada paciente", diz a dermatologista Tatiana Gabbi, do Zahra Spa & Estética.

Dr. Alexandre Y. Okubo, dermatologista da Clínica Prime e membro efetivo da Sociedade Brasileira de Dermatologia, afirma que a melhor maneira de remover as células mortas do rosto é com a ajuda de um profissional e produtos específicos para uma esfoliação mecânica. Dra. Tatiana afirma que embora a esfoliação faça muito bem à pele, não devemos abusar.

A pele oleosa é a que mais sofre com este problema. Para este tipo a dermatologista recomenda a higiene diária com um sabonete adequado à pele oleosa. "Esses sabonetes, em geral, contêm o ácido salicílico, porém, no caso de hipersensibilidade a esse componente, existem outras alternativas", sugere Dra. Tatiana Gabbi.

Dr. Alexandre Y. Okubo afirma que peles normais podem passar por esfoliação uma ou duas vezes por semana. "Já as secas devem ser esfoliadas apenas uma vez por semana ou a cada dez dias", diz o especialista. "Sabonetes de limpeza diária também são recomendados nesses casos, mas as fórmulas são mais suaves e os ativos, menos concentrados. No caso da pele seca, pode ser necessária a hidratação após a limpeza ou até uso de creme de limpeza no lugar do sabonete", alerta a dermatologista do Zahra Spa & Estética.

O uso de produtos industrializados é altamente recomendado pelos dois especialistas. "As partículas dos produtos industrializadas são propositalmente arredondadas para evitar maiores danos à pele", diz Dra. Tatiana. Dr. Okubo recomenda produtos que contenham microesferas de polietileno, ou microgrânulos de origem natural.

Geralmente vêm em forma de sabonetes líquidos ou cremosos. "As microesferas de polietileno e um antisséptico evitam a infecção da pele, uma vez que a microabrasão pode causar traumas e deixar a pele suscetível a pequenas infecções", completa a dermatologista.


Quem optar por esfoliar a pele em casa deve tomar alguns cuidados. Dr. Alexandre Okubo orienta: "O mais importante é nunca esfregar com força. O produto deve ser aplicado com delicadeza, em movimentos circulares e com a pele úmida". Já a Dra. Tatiana lembra: "O mais importante é utilizar a frequência recomendada por um dermatologista. Não adianta e é prejudicial esfoliar a pele com uma frequência superior à recomendada."

Os especialistas têm outras dicas importantes! A dermatologista afirma que o que funciona no tratamento dermatológico é a persistência, ou seja, a continuidade do tratamento. "Se em apenas uma sessão houver muita irritação da pele, a pessoa deve suspender o uso e procurar orientação de um especialista", sugere o dermatologista da Clínica Prime.

Por Bianca de Souza (MBPress)

Comente