Depilação do rosto - escolha sua técnica

Depilacaodorosto

Foto: Shutterstock

Quando falamos em depilação do rosto, logo vem aquela dúvida de qual técnica usar para retirar os pelos do buço ou da sobrancelha. Você que não suporta tirar os pelos com pinça ou cera quente, já experimentou a técnica da linha egípcia? Apesar de ser um tanto quanto dolorida, esse tipo de depilação não prejudica em nada a pele e, quando bem realizada, os riscos são praticamente nulos.

A linha remove os fios pela raiz, mas só é indicada para pelos finos, chamados velus. Eles nascem no rosto, principalmente em mulheres, já que os pelos grossos não serão removidos facilmente nesse método.

Já a dor na arrancada dos pelos varia conforme a escolha do método, e nesse quesito a cera realmente sai na frente por ser uma forma mais agressiva à pele. Seja quente ou fria, a cera extrai os pelinhos pela raiz, enfraquecendo-os. Depois de algumas sessões, a dor tende a diminuir, já que ele nascerá mais fino e fraco.

O grande problema quando ela está quente é que a tração feita contra a pele, que associada à alta temperatura provoca um processo inflamatório. Resultado: pode surgir vermelhidão e inchaço. É importante que a puxada seja feita no sentido contrário dos pelos e que haja remoção total dos resíduos de cera. O uso do protetor solar na região depilada evita o surgimento de manchas acastanhadas na região, principalmente no buço.

Quem opta pela cera quente também pode se deparar com aqueles pelinhos encravados. Eles encravarão com maior facilidade porque, enfraquecidos, terão dificuldade em romper os canais por onde passam. Uma boa dica para evitar o encravamento é fazer esfoliações de duas a três vezes por semana. Vale também loções anti-inflamatórias após a depilação, que ajudam a evitar os pelos encravados.

E quem pensa que a dor se restringe ao calor da cera, engana-se. A má notícia é que a cera fria dói mais que a cera quente. Isso porque a temperatura, que é ambiente, não ajuda a abrir os poros na hora da puxada, o que torna o procedimento mais fácil. A grande vantagem é que nesse método se corre menos riscos de queimaduras na pele.

Para a depilação com cera fria, seja no buço ou na sobrancelha, os cuidados são semelhantes ao do uso da cera quente: evitar exposição ao sol após a retirada dos pelos, para evitar manchas na pele, e esfoliar a pele contra os pelos encravados.

Confira outras opções de depilação facial:

Pinça

A vantagem das adeptas da pinça é que ela pode ser retocada em qualquer lugar e momento. Portátil, prática e barata, a pinça é uma boa alternativa para retirada de poucos pelos em algumas áreas específicas como a região do queixo e sobrancelhas. O principal problema é o trauma que ela pode provocar à pele, quando o uso for contínuo e se você insistir demais para remover os pelos curtinhos. E cutucar os pelos e folículos pilosos todos os dias pode provocar manchas acastanhadas e, muitas vezes, até nódulos e cicatrizes.

Se for feita da forma correta, a depilação com pinça não engrossa os pelos porque eles são removidos desde a raiz. O cuidado vai para não quebrá-lo na hora da puxada. As chances de encravamento são as mesmas da cera, uma vez que os pelos também perdem a força e têm dificuldade para chegar à superfície da pele. Vale colocar a esfoliação com sabonetes específicos na rotina de beleza. Uma desvantagem está no tempo de crescimento dos pelos, que podem crescer em momentos diferentes, já que é muito comum puxar os pelinhos entre uma sessão e outra.

Depilação a laser

Quem escolhe a depilação a laser para depilar buço, sobrancelha e outra região do rosto saberá que o investimento valerá a pena. Sim, não é um método barato. No entanto, a promessa é destruir a raiz do pelo e ele nunca mais crescer. Os resultados costumam aparecer após quatro sessões - que varia a cada pessoa - e é importante que seja feita uma reavaliação, cerca de um ano após o tratamento inicial, para avaliar o crescimento de novos pelos e necessidade de manutenção.

O procedimento é mais eficiente em mulheres com pele clara e pelos escuros e grossos, porque o laser é atraído pelo pigmento escuro do pelo, que leva a onda de luz até a raiz. Em mulheres de pele negra o efeito não será tão bom, já que a luz será também absorvida pela pele, diminuindo a quantidade de laser que vai para o pelo.

Após a extração dos pelos, o recomendado é não tomar sol e usar um filtro solar com fator de proteção no mínimo 30 - o indicado é o uso do FPS um mês antes do início do tratamento e entre as sessões. A depilação com pinça ou cera nesse período também não é recomendada. Cada sessão custa entre 200 e 400 reais.

Certas alterações hormonais, como gravidez, mudança da pílula anticoncepcional, puberdade e outros eventos estimulam os hormônios e justificam o aparecimento de novos pelos. Por isso, é importante pesquisar essas alterações com seu médico.

Fotodepilação

Diferente da técnica usada no laser a luz intensa pulsada, apesar de se tratar também de uma energia luminosa, é inespecífica. Ou seja, não age apenas na melanina do pelo, mas também nos tecidos que ficam ao seu redor. Resultado: a energia emitida não pode ser tão alta, pois o que destruiria os vasos ao redor. Por isso ela não destrói toda a estrutura da raiz do pelo, deixando intacta a região onde estão as células que produzem novos pelos.

Um das vantagens da fotodepilação consiste na transmissão da energia luminosa, que pode ser usada com eficiência para peles com mais pigmentação, como negra e morena escura. E há menor sensação dolorosa em relação à depilação a laser. O número de sessões depende das características do pelo e da pele, e ainda do aparelho usado, girando em torno de oito sessões. Cada sessão custa em média 60 reais.

Creme depilatório

Tão prático quanto a pinça, os cremes depilatórios continua entre os mais indicados por especialistas. Não há riscos de irritações, queimaduras, e alguns ainda têm ativos hidratantes, como óleos e manteigas e vitamina E, que combate o ressecamento do corpo.

Mas como toda regra tudo, o método tem alguns contras: mesmo efeito da lâmina, ou seja, não tira pela raiz, e sim fica a sensação de engrossamento dos fios. Em geral, o produto inibe um pouco o crescimento do pelo e aumenta o intervalo das retirada em até cinco dias após o uso. A explicação está no tioglicolato da fórmula, substância química utilizada no alisamento de cabelos que quebra a estrutura do fio até que ele seja dissolvido, deixando a superfície da pele lisinha.


O ideal é ler todas as recomendações do produto antes de usar. E não se esqueça de fazer um teste de sensibilidade na parte de trás do braço. Espere 24 horas para ver se aparece alguma reação, antes de aplicar no rosto. Se nada acontecer, pode passar o produto, mas nunca ultrapasse o tempo que ele deve ficar na pele.

Por Natália Farah

Comente