De onde veio o botox?

De onde veio o botox

O botox é aliado de muitas mulheres que querem se livrar das rugas e relembrar o rosto que tinham na juventude. Mas alguém sabe de onde veio essa aplicação quase "milagrosa"? A toxina utilizada nas aplicações de botox é a mesma responsável por uma doença rara, mas fatal. A bactéria Clostridium botulinum, que está presente no solo e em alimentos contaminados e mal conservados, produz a toxina que causa o botulismo, uma intoxicação alimentar. Essa mesma toxina é utilizada para amenizar as rugas.

O paciente com botulismo é acometido por uma paralisia muscular progressiva, que se inicia pelo rosto. À medida que o mal progride, os sintomas atingem a musculatura e dificultam a respiração. E foi a partir da atuação dessa toxina que os médicos passaram a estudar seu uso para outros meios.

"Um casal americano super famoso nos anos 70 começou a fazer a aplicação da toxina para curar estrabismo, uma outra doença, e percebeu que os pacientes que eram submetidos a esse tratamento tinham uma melhora temporária das rugas na testa", conta a dermatologista Tatiane Curi. Com isso, a toxina, que era utilizada como relaxante muscular, foi estudada e indicada para fins estéticos.

O cirurgião plástico Paulo Matsudo foi um dos primeiros profissionais a utilizarem a toxina no Brasil. "As pessoas faziam cirurgias e reclamavam que ainda tinham rugas quando sorriam e se movimentavam. Então, estudando os relaxantes musculares cheguei nesse. Não é taxado como doping. Adequamos o uso para rugas faciais, pois ele era usado em outros meios", explica o especialista.

Tatiane conta também que a toxina chega às mãos dos médicos como um pó. Para ser aplicada, ela precisa ser diluída e injetada. "Quando você injeta, a ação dela é bloquear um neurotransmissor, chamado acetil colina. Ele faz a contração do músculo, a secreção da saliva e das glândulas sudoríperas. Injetada, a toxina bloqueia essa liberação e ocorre um relaxamento temporário da musculatura do rosto", explica. A aplicação deve ser refeita a cada três ou seis meses, pois o músculo volta a ficar do jeito que era.

Fonte - MBPress

Comente