Blueberry: beleza natural

Blueberry beleza natural

A maçã é usada no peeling, o urucum é eficiente para as manchas, o coco tem efeito hidratante e relaxante, mas é o blueberry que vem chamando a atenção na hora de combater o envelhecimento facial. Pelo menos é isso que prova a argentina Zulma Penachio, que esta semana apresenta em São Paulo um estudo sobre essa frutinha rica em antioxidantes.

Zulma é uma das participantes do 17º Congresso Científico Internacional de Estética e conta que o blueberry é uma frutinha agridoce, também conhecida como mirtilo, originária da América do Norte - mas se adaptou bem aqui no Brasil.

“Rico em resveratrol, antocianinas [antioxidante que previne doenças degenerativas] e vitaminas A e C, ajuda no bom funcionamento do sistema cardiovascular, podendo prevenir infartos, problemas cardíacos, cânceres e vários tipos de infecções, além de ser indicado também para o tratamento de varizes e hemorróidas”, detalha Zulma, que é cosmiatra e cosmetóloga. “O blueberry também auxilia no emagrecimento e é muito bom para diabéticos já que reduz a taxa de açúcar no sangue”, completa.

A proposta de Zulma é combinar a ação antioxidante do blueberry à radiofreqüência e ajudar a estimular o colágeno. “A radiofrequência, ao ser utilizada na região facial, potencializa os efeitos e as propriedades da fruta combinada com oligoelementos, ou seja, induz a formação de colágeno pelo aquecimento e vasodilatação dos vasos e fibras da derme”, explica. Com a ação antioxidante da fruta, há a inibição da colagenase (que deteriora o colágeno já formado) além de estimulação à formação dessa proteína. “Em temperaturas maiores, a radiofrequência no corpo provoca a queima de gordura localizada, que acaba potencializada pelo efeito emagrecedor do mirtilo”, ressalta a dermatologista Fábia Martins, da Clínica Dicorp, do Rio de Janeiro.

A boa notícia é que essa frutinha boa pode ser consumida in natura, em sucos, licores, geléias, caldas ou adicionado a iogurtes, sorvetes, tortas, cremes e cereais. “O consumo na alimentação deve ser rotineiro”, indica Zulma.

Segundo ela, estudos já demonstraram a eficácia do blueberry na reversão dos sinais de foto-envelhecimento - e o próximo passo será a multiplicação de cosméticos à base da fruta. “Ela já vem sendo utilizada em banhos semelhantes à vinhoterapia, esfoliação e aplicação na forma de drenagem com óleos da semente da fruta e máscara tensora e antioxidante com mirtilo”, conta. “O tratamento é bastante eficaz. Ela promete ser a fruta do século”.


Fábia e Zulma alertam apenas que as pessoas alérgicas ao ácido salicílico, presente na aspirina, evitem a blueberry, que tem alto teor dessa substância.

Por Sabrina Passos (MBPress)

Comente