Blefaroplastia para levantar o olhar

Blefaroplastia para levantar o olhar

Com o passar do tempo, o peso da idade começa a aparecer, não importa o quanto você cuide da pele. E uma das regiões do rosto onde a lei da gravidade denuncia os anos está bem ali, visível, logo acima dos olhos. Voltar no tempo para tentar reverter os sinais é obra apenas da ficção. Na vida real, o que pode ajudar é mesmo a cirurgia nas pálpebras, conhecida como blefaroplastia.

O Dr. Wilson Ruzzante, médico cirurgião e titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, explica que o envelhecimento se caracteriza por um excesso de pele, tanto nas pálpebras superiores quanto nas inferiores. E, segundo ele, a cirurgia não apenas proporciona o rejuvenescimento - tira o ar cansado do rosto - como é comumente indicada por oftalmologistas, para melhorar a visão.

Segundo ele, os mais jovens têm a abertura do olho grande e rígida. Mas, com o passar dos anos, essa abertura diminui e pode acumular gordura. E não são apenas pessoas de idade avançada que apresentam esse tipo de problema. “Existem pacientes novos que não tem excesso de pele, mas já tem bolsas de gordura”, afirma. Esse tipo de característica pode aparecer devido a fatores genéticos. Não existe, portanto, idade padrão para se submeter à blefaroplastia.

O cirurgião plástico Dr. Cristiano Fleury, do Centro Integrado de Cirurgia Plástica de Brasília, completa dizendo que a indicação da blefaroplastia vai depender do grau de flacidez presente nas pálpebras, que geralmente começa após os 40 anos. “Quando o excesso de pele e gordura é tal que prejudica a abertura eficiente da pálpebra superior, a blefaroplastia, além de estética, ganha um importante objetivo de melhorar a visão do paciente”.

A cirurgia é bem simples se for feita de maneira correta. E, segundo Walter, é a mais barata e mais eficaz dentre as cirurgias plásticas existentes. “A técnica consiste em retirar uma elipse da pele da pálpebra superior ou inferior e retirar as bolsas de gordura”, conta.

A blefaropastia costuma utilizar anestesia local e o paciente recebe alta algumas horas após o término do procedimento. Fleury explica que quando realizado na pálpebra inferior, a abordagem pode ser interna (pela conjuntiva), externa (pela pele) ou pela associação das duas, dependendo da indicação de retirada de pele e de bolsas gordurosas. “Na pálpebra superior é realizada a ressecção de pele excedente com a colocação da cicatriz no local do sulco natural da pálpebra”.


O pós-operatório é indolor e, apesar do leve inchaço e equimoses (região arroxeada), não há grandes transtornos. “Na primeira semana pode-se colocar uma compressa de água fria para aliviar os sintomas. Os pontos são retirados na segunda semana”, afirma Walter. Fleury é mais otimista e diz que, em geral, os pontos podem ser retirados já no quarto dia e indica usar travesseiros para manter sempre a cabeça em uma altura superior à do coração, elevada, para diminuir os edemas. Por ser um procedimento simples e pouco invasivo, costuma demorar entre 1 hora e uma hora e meia.

As mulheres continuam sendo as campeãs na procura pela plástica, mas Wilson afirma que essa é a cirurgia que os homens mais costumam fazer. Segundo o médico Fleury, os bons resultados da blefaroplastia fazem com que ele seja um dos procedimentos mais realizados na cirurgia plástica.

Por Cínthya Dávila (MBPress)

Comente