Aquaporinas e rejuvenescimento da pele

Aquaporinas e rejuvenescimento da pele

Que mulher - ou homem - não gostaria de manter para sempre uma aparência jovem? Os produtores de cosméticos desenvolveram diversas formas de melhorar o aspecto da pele envelhecida, mas os resultados ainda não atingiram o nível esperado.

Só que isso pode mudar em breve. Uma descoberta que rendeu ao médico e químico Peter Agre o Prêmio Nobel de Química, em 2003, serviu de base para pesquisas que prometem revolucionar os tratamentos para rejuvenescimento da pele. Peter descobriu a existência de canais com proteínas que transportam e permitem a entrada e saída da água na membrana celular, as chamadas "aquaporinas".

"As ‘aquaporinas’, encontradas na epiderme (camada mais superficial da pele), são muito importantes para o equilíbrio hídrico das células", explica Flávia Addor, membro e vice-presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD-SP).

Ela conta que o corpo vai perdendo a capacidade de formar "aquaporinas" na medida em que o tempo passa. Este é um dos motivos do ressecamento da pele. A ideia dos novos estudos realizados por algumas indústrias de cosméticos é estimular a produção das "aquaporinas" e, consequentemente, manter a pele hidratada, com aparência mais jovem.

Produtos com substâncias que aumentam a síntese e estimulam a formação de "aquaporinas" já estão em fase experimental. "Se os testes forem bem-sucedidos, esses ativos vão trazer uma inovação na maneira de tratar a pele seca", afirma Flávia.

De acordo com a médica, um tratamento que aumente o número de "aquaporinas" hidrata a célula - e a pele - de dentro para fora. Essa é a diferença em relação aos cremes e produtos que já estão no mercado, cuja ação ocorre de fora para dentro, através de uma manutenção superficial dos níveis de água da célula.

Outra vantagem é o auxílio no tratamento de inflamações cutâneas como a dermatite de contato e de queimaduras solares. "Doenças como essas passariam a ter um tratamento mais específico e eficiente, já que há evidências da disfunção ou redução das ‘aquaporinas’ nestas doenças" diz a dermatologista.


Os produtos que estimulam a síntese de "aquaporinas" ainda não têm previsão para chegar ao mercado. Então, o jeito é esperar para conferir os benefícios de perto.

Por Priscilla Nery (MBPress)

Comente