Personal Perfumista

Perfumes sempre foram um produto mágico, para fazer sonhar e remeter a lembranças mágicas. Nas últimas décadas e com a industrialização feroz, algumas marcas até então associadas a exclusividade e qualidade começaram a produzir em altíssima escala perfumes com seus nomes.

Funcionava assim: se uma mulher comum não podia ter um vestido Chanel ela poderia, com algum esforço e planejamento, comprar e usar o perfume da marca, sentindo-se assim contagiada por uma pitada de todo o glamour inferido pela grife. Até aí justíssimo. Ganhavam a marca e as mulheres de todo o mundo

Mas o Mercado do Luxo não se contentou com isso. Afinal, segundo os especialistas, os perfumes industrializados são produzidos com substâncias e fragrâncias sintéticas e não com elementos raros da natureza.

Então acharam por bem inventar o personal perfumista. É o sujeito que, depois de estudar um pormenorizado questionário respondido pela cliente sobre suas preferências, seu temperamento, seu perfil enfim, elabora um perfume para ela e apenas ela, com produtos naturais e tão raros que chegam a custar de cinco a trinta mil dólares!!!

Meu sangue libanês me impede de achar que esse é um luxo que vale o preço. E não é puro pão-durismo não. Quem já não sonhou em ter um dia de rainha com servos e vassalos nos oferecendo os mais tresloucados mimos. Mas não gosto de engodo.

Até acredito que perfumes de casas como a Mane que é uma das mais tradicionais perfumarias da França funcionando há mais de 100 anos, sejam sensacionais e inesquecíveis. Porém, nada, mas nada mesmo, vai me fazer acreditar que o ato de despender 30.000 dólares em um frasco de suas fragrâncias vá fazer de mim uma mulher de irresistível olor.

Sabe porque? Porque já somos únicas até mesmo sem perfume. (Lembre-se do nosso perfume natural - esse sim, completamente exclusivo, fruto de mágicas misturas de nosso metabolismo e tudo o que ele incorpora e elabora em cada dia de nossa vida).

Aí, some-se a este aroma, um perfume qualquer, mesmo o mais tradicional industrializado e, aí sim, teremos outra fragrância única. Que muitas vezes funciona e outras não. Daí que muitos perfumes dão certo para determinadas pessoas e a mesmíssima fórmula na pele de outra fica mais forte, mas fraca, azeda ou simplesmente não agrada.

E aí não depende de ser elaborada por uma indústria ou uma casa com o mais cuidadoso dos perfumistas artesãos. Personal ou não. E eu lá vou arriscar perder uma dinheirama em algo que só vou saber depois de experimentar e cujo o resultado nem mesmo o mais expert dos perfumistas poderia prever?

Nada disso. Esse mercado do Luxo pode ser muito interessante para se ler, mas passa longe não apenas da realidade da maior parte das mulheres como até dos seus sonhos mais simples. Como, por exemplo, o divertimento e o exercício que pode ser pesquisar, testar e encontrar um perfume que reaja exatamente como imagino em minha pele, exalando a fragrância com todas as notas e nuances que eu imaginei .

E para isso, não preciso de um personal perfumista nem de grandes luxos. Pois esta combinação pode estar tanto na mais simples das águas de colônias quanto em uma tradicional lavanda ou mesmo em um exótico óleo asiático.

Jornalista, escritora e palestrante, Claudia Matarazzo é autora de vários livros sobre etiqueta e comportamento: “Visual, uma questão pessoal”, “Negócios Negócios - Etiqueta faz parte”, “Amante Elegante - Um Guia de Etiqueta a Dois”, "Casamento sem Frescura", "net.com.classe", "Beleza 10", "Case e Arrase - um guia para seu grande dia", "Gafe não é Pecado" e "Etiqueta sem Frescura"

Comente