Software indica a melhor maquiagem para cada tipo de rosto

Software indica a melhor maquiagem para cada tipo

Acordar de cara amassada e ver o milagre que os kits de beleza podem fazer no seu rosto não tem preço. Agora, imagine ter um maquiador dentro de sua casa? Não, não é Celso Kamura ou Marco Antônio Di Biaggi, mas sim um software que te ajuda a escolher a melhor maquiagem, independente da situação.

Apresentado na CeBIT, feira de tecnologia alemã, o programa tira uma fotografia 3D do rosto da usuária. A partir da imagem, ele analisa as sombras e contornos de seu rosto e os compara com 60 modelos pré-programados.

Com isso, o programa informa qual maquiagem ficará bem e até mesmo a quantidade que deve ser usada, tendo como base transformações feitas nestes modelos, segundo informações do jornal "El País".

Além disso, o software diz se determinada make fica bem (ou não) para você. Isso pode te poupar demaquilante, ou, em casos extremos, te livrar daquele mico da sombra azul, blush rosa e batom vermelho. O resultado final é mostrado em 3D.

"Levamos em consideração algumas características faciais, como sardas ou pintas. Além disso, o programa também consegue dizer se já existe um tipo de maquiagem que combine com o rosto de cada mulher", explicou Kristina Scherbaum, desenvolvedora do software, no Instituto de Informática Max Planck, Alemanha.

"Atualmente, a aplicação está em fase de testes, mas poderia ser comercializado em breve", revelou Himangsho Saikia, criador da interface do programa. Ele diz que "a maquiagem profissional é cara", mas, com o software criado, a usuária "pode ligar o computador pela manhã, usar uma webcam e fazer a melhor maquiagem possível" para ela.

Além de tudo isso, o programa também adéqua a maquiagem à ocasião. Reunião de trabalho? Ele cuida. Balada com as amigas? Sem problemas!


Por se tratar de um software recém-apresentado na CeBIT, não há informações de quando ele será comercializado, tampouco quando chegará em nossas terras. No entanto, vale saber que o mercado estético está em expansão, o que permite aos pesquisadores de centros renomados, como os do Instituto de Informática Max Planck, investirem em tecnologia para o bem-estar.

Por Ana Paula de Araujo (MBPress)

Comente