Alexandre Krizek - profissional da maquiagem

Alexandre Krizek  profissional da maquiagem

Dos brinquedos de menina, nenhum fazia tanto sucesso quanto aquela cabeça de Barbie gigante que vinha com maquiagens para que a gente enlouquecesse pintando rosto, bochecha e lábios como quisesse. Muitas, ali mesmo pegaram o gosto pelo make. Outras, gostaram tanto da coisa que acabaram profissionais da beleza. Aí, quando elas cresciam, eles também aprendiam a gostar (e muitos a se profissionalizar também) entrando no universo de cores, criando uma infinidade de oportunidades e possibilidades para o rosto da mulherada.

É o caso do consultor de imagem e beleza Alexandre Krizek, hoje dono de um instituto que leva seu nome e oferece diversos cursos na área. Em conversa com o Vila Batom, Alexandre, que é maquiador e consultor de O Boticário, consultor da Basf do Brasil Chemical e também consultor de desenvolvimento da Mary Kay, falou mais da maquiagem como mercado de trabalho e da importância da qualificação. Se você quer transformar brincadeira de criança em profissão, confira as dicas dele.

Formado pela Make Up For Ever Academy e ITM, de Paris, e pela Make Up School, de Londres, Alexandre explica que o profissional dessa área é o responsável em encontrar soluções para cada cliente. Então, precisa entender de beleza de uma maneira globalizada. É ele, portanto, que deve saber qual o uso correto de cada produto, bem como suas possibilidades em cada face. E hoje, mais do que deixar bonita uma mãe para a festa de 15 anos da filha, um maquiador encontra um mundo enorme de possibilidades de trabalho, se souber entender essa "globalização" que a maquiagem envolve. "É possível dar aulas de auto-maquiagem, trabalhar em desfiles e editorias publicitários, com fotógrafos e ainda como freelancer em salões e clínicas de beleza", exemplifica Alexandre. Ele indica ainda o serviço de make a domicílio e a consultoria para empresas ou lojas do segmento.

Com tantas possibilidades, fica difícil imaginar como funciona a rotina de trabalho de um maquiador. E, com tanta novidade e lançamento com relação ao beauty, é necessário estar super antenado para não perder o bonde. "É preciso também conhecer novas tendências de moda e comportamento", indica. Ligado no mundo, é essencial contar com uma pequena dose de sorte e uma muito maior do que Alexandre chama de empreendedorismo. Para ele (que tem também graduação em Administração de Empresas e Pós-Graduação em Recursos Humanos, pela Universidade Metodista de São Paulo), ser maquiador é como abrir uma empresa. "É necessário investir dedicação e tempo, além de dinheiro. É fundamental trabalhar o marketing pessoal, pois não basta ser bom e não mostrar isso a todo mundo, tem que ir pra rua e fazer propaganda", sugere. Nesse caso, uma boa opção é se afiliar a agências de maquiadores, que atendem os mais diversos tipos de trabalho.

Hoje, com o crescente interesse das brasileiras por maquiagem, o campo de trabalho desse profissional se expande ainda mais. Alexandre avalia que as mulheres daqui estão mesmo descobrindo que podem ficar muito mais bonitas se bem maquiadas. "Vemos um número cada vez maior de mulheres optando pelo uso de cosméticos de embelezamento, talvez por conta até da enorme oferta de produtos no mercado".

Outra razão desse aumento no consumo são as facilidades para reconhecer as melhores cores para cada rosto e até aprender a usar os produtos. "Antigamente não havia qualquer informação de como aplicar a sombra, por exemplo. A internet é uma grande aliada para quem busca dicas e truques e, por isso, acaba a motivar o interesse", lembra.

Curso e livro para profissionais

No Instituto Krizek, que fica em São Paulo, é possível participar tanto de cursos de auto-maquiagem como também dos profissionalizantes. Nesse último, são repassados todos os aspectos da profissão, desde as áreas de atuação até o mercado em si. Quem participa aprende também sobre maquiagem étnica, para foto e vídeo, para noivas e para pele madura, por exemplo. É possível ainda se especializar em maquiagem masculina, descobrir truques de iluminação e claro, criação de vários looks.

No mesmo local há ainda cursos de design de sobrancelha, permanente e henna para cílios, colorimetria, penteado, personal stylist, entre outros. Além disso, o Instituto oferece a oportunidade para que seus alunos tenham seu próprio portfólio, tornando-os mais competitivos para o mercado de trabalho. Fotógrafos, modelos profissionais e produtores, acompanhado por professores e especialistas em maquiagem e produção de moda ajudam nessa produção. Cada aluno tem, ao final do curso, um portfólio com 15 fotos, tendo como temas três looks: nude, fashion e uma maquiagem livre. Caso o aluno já seja um maquiador profissional e queira fazer apenas seu portfólio, poderá mostrar sua experiência e agendar uma sessão de fotos com a equipe do Instituto.


Para ajudar ainda mais os profissionais, Alexandre está também preparando um livro que trata do mercado de trabalho e área de atuação do maquiador. "Não será um livro de dicas, que ensine utilizar determinado produto. Nele, explicarei como é a profissão e trato também de formação e conduta profissional, além de legislação", conta. A obra deve ser finalizada em 2011.

Por Sabrina Passos (MBPress)

Comente