Verão exige cuidados com a pele

Verão exige cuidados com a pele

A atenção e cuidados com a pele sempre esteve em primeiro lugar na lista de prioridades de muitas mulheres e homens. Com a chegada do verão, essa preocupação aumenta, bem como a atenção para uma série de tratamentos estéticos milagrosos, que prometem solucionar a maioria das queixas e problemas.

Mas, o que as pessoas acabam esquecendo é que milagres não existem e os hábitos do dia-a-dia podem trazer resultados melhores do que as anunciadas técnicas revolucionárias.

Dentre os principais cuidados recomendados está o uso do protetor solar. "Durante o verão, a radiação solar é muito mais intensa, o que exige aplicação do protetor solar, seja durante longos períodos de exposição ao sol, como nas praias, nas piscinas ou no campo, bem como no trabalho", esclarece Selma Cernea, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia Regional São Paulo, SBD-SP.

Segundo dados estatísticos, obtidos durante a Campanha Nacional de Prevenção contra o Câncer da Pele, realizada em 2010 pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, a exposição ao sol está diretamente relacionada aos casos de câncer da pele (o de maior incidência no Brasil).

Do total de pacientes examinados durante a Campanha (32267 pessoas), apenas 31,44% (10146 pessoas) se expõem ao sol tomando os cuidados para uma proteção adequada.

Enquanto que na situação inversa, o número quase duplica: cerca de 63,53% (20498 pessoas) não se preocupam em usar protetor solar. Os demais afirmaram não se expor ao sol.

A hidratação da pele também deve ser adotada como uma forte aliada, principalmente por conservá-la, livrando-a dos malefícios causados pelo sol. Segundo a dermatologista, a aplicação do hidratante deve ser ainda mais intensa após banhos demorados ou muito quentes, que é quando a pele costuma ressecar com mais facilidade.

Já para aqueles que costumam tomar mais de um banho por dia, a Dra. Selma afirma que o hábito não causa danos à pele, desde que se evite ensaboar por completo a cada banho, restringindo o uso de sabonete apenas às regiões das axilas, partes íntimas e rosto.

Outra importante recomendação é para a secagem correta e bem feita entre os dedos e dobras dos pés, evitando o aparecimento de micoses.

Cuidados com o uso do protetor solar

Um dos objetivos, se não o principal, buscado pela maioria das pessoas, é garantir um corpo bronzeado durante o verão. Mas, antes de se expor ao sol, é importante estar atento para uma fotoproteção adequada. Segundo Selma, a escolha do protetor solar para o rosto deve ser feita de acordo com o tipo de pele, isto é, peles mais secas exigem fórmula em creme ou loção cremosa; as mais oleosas se adaptam melhor àqueles produtos em gel ou loção.

Já para o restante do corpo em que a pele costuma ser mais seca, a aplicação de protetores solares em loção cremosa é a ideal - com exceção das áreas em que há uma maior quantidade de pelos, nas quais o uso de spray acaba sendo o mais adequado.

Em relação à escolha do Fator de Proteção Solar (FPS) adequado, a especialista esclarece que "a proteção adquirida pelo FPS de nível 15, 30 e 60 corresponde, respectivamente, a 93,3%, 96,7% e 98,3%. Portanto, é recomendável que se prefira uma aplicação correta do FPS 30. Essa opção pela média pode oferecer melhores resultados, sobretudo nos casos de exposição prolongada à radiação solar, do que o uso da opção mínima (15) ou mal aplicada do FPS 60".

Ela acrescenta que "o protetor solar deve ser reaplicado com maior frequência em situações como as de transpiração excessiva ou de imersão na água. Para as demais, deve ser levado em conta que o tempo de duração de um FPS de nível 30, em condições normais, é de duas a três horas".

Para regiões como as do rosto, couro cabeludo e braços, que costumam ficar mais expostas ao sol, a aplicação do protetor solar deve ser feita diariamente, mesmo quando não há exposição solar exagerada.

Contudo, se as medidas de fotoproteção não forem tomadas e ocorrerem queimaduras solares, a Dra. Selma recomenda que naquelas avaliadas como de primeiro grau (apresentando pele avermelhada), podem ser aliviadas com compressas frias ou o uso de loções calmantes. Já em casos mais graves (com o aparecimento de bolhas), deve-se procurar pelo atendimento médico.

Outros fatores que aumentam a proteção recomendados pela dermatologista são: uso de roupas adequadas, que permitam a respiração da pele ao mesmo tempo que evitem o contato direto com a radiação, bonés; a ingestão de líquidos como água e sucos; o consumo de alimentos leves como frutas, verduras e legumes - sempre de forma moderada e balanceada.


"Estes cuidados complementares vão contribuir para a proteção e a saúde da pele, além de prevenir outras doenças e problemas comuns durante o verão. Só farão bem", completa.

Por Jessica Moraes

Comente