Varizes: complicações e tratamento

Varizes complicações e tratamento

Os riscos para quem sofre com varizes podem ir além do incômodo estético por causa da aparência delas e se tornar um problema de saúde. Quando não tratada, a doença tende a se agravar e causar dores e sensação de ardência, principalmente nas pernas - local que costuma ser bastante afetado.

Além das incômodas sensações de cansaço, queimação e pernas "pesadas" - sintomas mais comuns em portadores das veias doentes -, certas complicações podem aparecer. "A flebite superficial - que é a formação de coágulos dentro da veia varicosa - pode ocorrer, levando à dor local, endurecimento da veia e vermelhidão. Manchas de cor castanha escura (dermatite ocre), e até mesmo úlceras, devido a alterações da oxigenação da pele", alerta Gilberto Narchi Rabahie, médico vascular do Hospital do Coração, em São Paulo.

"Outra complicação importante e de certa forma dramática é a varicorragia, ou seja, o rompimento de uma variz com sangramento externo", completa. Geralmente, esses problemas aparecem quando o paciente já tem varizes há algum tempo e não procurou tratamento. Portanto, o ideal é consultar um especialista assim que as marcas começarem a aparecer. O diagnóstico costuma ser bem simples - por meio de um bom exame físico no próprio consultório. Em alguns casos, a tecnologia pode ajudar a constatar a doença, como naqueles em que é pedido um Doppler ultra-som - exame não-invasivo de fácil realização.

Dentre os tratamentos mais famosos para dar um fim nas varizes estão:

- Escleroterapia: indicada para combater os chamados "vasinhos". Nessa técnica, um líquido - chamado esclerosante - é injetado nos vasos através de agulhas muito pequenas e finas, alterando a célula do "vasinho" para que ele desapareça.

- Crioescleroterapia: indicada para combater "vasinhos" e varizes. Uma substância com ativos congelados a 40ºC negativos é aplicada nos "vasinhos", provocando a contração deles. A substância congelada, pelo frio, age com mais rapidez e elimina os vasos doentes.

Agora, para os casos mais graves, a recomendação é a cirurgia vascular. Atualmente, os especialistas têm adaptado as cirurgias, pensando em métodos cada vez menos invasivos. Assim, além da forma convencional, hoje existe a cirurgia a laser.

"Na cirurgia com laser, as veias não são removidas, mas cauterizadas, trazendo benefícios como redução do trauma cirúrgico, proporcionando excelente recuperação pós operatória. O pernoite no hospital pode ser desnecessário, e o retorno às atividades habituais é mais precoce que a técnica convencional", diz o médico vascular do HCor.

Procure sempre um angiologista ou cirurgião vascular antes de realizar qualquer procedimento. Ele é a pessoa mais indicada para avaliar o melhor método para eliminar as varizes.


Por último, é sempre bom lembrar que, como a hereditariedade influencia no aparecimento da doença, outras marcas podem aparecer após o tratamento. "Quando a cirurgia é realizada, pode-se dizer que houve cura das varizes. Porém, com o tempo, o paciente pode experimentar um novo quadro de varizes, ou seja, veias que no momento da cirurgia estavam normais podem se dilatar e um novo procedimento operatório pode ser necessário", finaliza Gilberto. Por isso, aposte sempre na prevenção!

Por Priscilla Nery (MBPress)

Comente