Tratamentos para remover ciatrizes da pele

Tratamentos para remover as ciatrizes da pele

A pele revela marcas do tempo difíceis de serem removidas. Muitas vezes esses sinais veem de agressões externas e se manifestam na forma de cicatrizes incômodas. Algumas difíceis de saírem, outras mais profundas e tratadas como um caso grave de saúde.

Vários fatores determinam o quanto ela vai permanecer na pele. Os principais são: profundidade da lesão, região onde ela é formada e a genética. Marina Odo, dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, afirma que as pessoas com a pele mais morena (etnias árabe, oriental e africana) têm mais chances de desenvolver uma cicatriz hipertrófica - aquela que se apresenta elevada em relação ao tecido do entorno.

"A tendência natural da pele dessas pessoas é recompor as lesões em excesso, gerando cicatrizes hipertróficas e quelóides (machas avermelhadas escuras em formato de corcova)", diz. Lembrando que há uma diferença entre estes dois tipos de cicatrizes. Enquanto a primeira é uma desordem das fibras de colágeno, a quelóide representa uma produção exagerada dessas fibras.

Geralmente as cicatrizes são causas por ferimentos, queimaduras ou ainda são conseqüências de cirurgias plásticas. Neste último caso, elas aparecem em forma de manchas escuras por conta da técnica de estiramento da pele, do fechamento do corte e ainda dos cuidados pós-operatórios. Conforme o tipo de cicatriz, às vezes é usada uma fita de gel de silicone, ao invés do micropore, na linha do corte.

Em muitos casos não é o tamanho que vai determinar a sua gravidade, mas sim a coloração. Melhor se forem mais clarinhas e finas do que altas e escuras, quando é preciso um tratamento. "Mesmo porque geralmente quando há a sutura de cortes de bisturi, a cicatriz tem o aspecto de uma linha fina", acrescenta a dermatologista.

Segundo Odo, quando as marcas são escuras na maior parte das vezes elas são suavizadas com aplicação de ácido retinóico e cremes clareadores, capazes de igualar o tom de pele depois de um certo tempo de uso. Para o ácido, os resultados aparecem entre 45 dias e 2 meses a partir da primeira aplicação. Os cremes são à base de hidroquinona e geralmente mostram eficácia após seis meses de uso contínuo, mas cuidado, porque é importante manter distância do sol durante a sua aplicação.

Alguns dermatologistas também indicam a betaterapia, procedimento simples que ajuda na cicatrização, principalmente no caso de quelóides. Geralmente o tratamento é feito no segundo dia do pós-operatório em dez sessões. A betaterapia funciona através de um aparelho de fonte radioativa que emite raios beta na camada da pele onde acontece a formação das cicatrizes.

No caso das queimaduras, quando as cicatrizes são mais largas e escuras, é a própria cirurgia plástica que ameniza o problema, através de um enxerto que ajuda a reconstruir os tecidos e, conseqüentemente, a elasticidade da pele. As mais leves, isto é, cicatrizes claras, são amenizadas com o ácido retinóico.

A dermatologista explica que técnicas a laser como, por exemplo, a não ablativa e a luz intensa pulsada, melhoram em até 80% determinados tipos de cicatrizes.

"Além disso, para o tratamento eficaz, o uso de preenchedores é muito importante", ressalta. Segundo ela, a aplicação de ácido hialurônico, por exemplo, também vem mostrando bons resultados no combate a cicatrizes e até celulite. A especialista ressalta também a eficácia da vitamina C. "Estudos comprovam que a administração dessa vitamina em quantidades maiores que o normal durante o processo de cicatrização impede a necrose de tecidos", acrescenta.

No caso do laser, uma das técnicas que vem sendo usada é a de CO2 fracionado. Sua ação é simples: através da destruição da camada superficial da pele, ele faz uma esfoliação superficial, aquece a derme e forma um novo colágeno. O laser fracionado também é bastante eficaz para retirar as cicatrizes da acne.

Durante a ação do tratamento, isso enquanto as manchas ou linhas não suavizam, você pode usar cosméticos que ajudam a camuflar as cicatrizes. O uso de bons corretivos, principalmente em bastão ou lápis, é um bom recurso para escondê-las.

Diante de uma infinidade de técnicas e tecnologias nos consultórios, sem dúvida a beleza da sua pele fica agradecida. Mesmo assim só profissionais especializados saberão quais delas são as mais indicadas para o seu tipo de pele.

"O conhecimento é fundamental para escolher entre os diversos tratamentos disponíveis; então, a busca por um profissional qualificado é imprescindível", finaliza a dermatologista.

Comente