Perigos do sol

Perigos do Sol

No verão, todas as mulheres querem ser a “moça do corpo dourado do sol de Ipanema”. E nem precisa estar numa praia do Rio de Janeiro para querer ser a musa inspiradora de Tom Jobim e ser notada “em um doce balanço a caminho do mar”. O sol nasce para todas, mas é aí que mora o perigo.

Muitas mulheres querem se bronzear em um dia o que não conseguiram o ano inteiro. Ficam uma eternidade torrando em horários inapropriados e pior, não passam protetor solar adequadamente. Aí, quando se levantam e o espelho condena, percebem que não estão da cor do pecado - e sim pecaram com a própria pele.

“Os efeitos agudos mais conhecidos desse exagero são as queimaduras solares e a insolação. Os efeitos crônicos incluem manchas, fotoenvelhecimento e o câncer de pele”, explica a dermatologista Maira Mitsue Mukai.

As queimaduras existem em três graus diferentes. As de primeiro grau atingem somente a epiderme e são mais superficiais. Nesse caso há vermelhidão, inchaço e ardência. As que atingem a epiderme e a derme provocam vermelhidão da pele, com formação de bolhas, inchaço e dor e são conhecidas como de segundo grau. Essas duas são mais comuns no verão do que as de terceiro grau, que atingem camadas profundas, como músculos e até ossos.

Na hora de analisar o grau da queimadura é importante levar em consideração o tipo de pele, a idade do indivíduo e o período de exposição ao sol. O uso de protetor solar, a extensão do acometimento da pele e a presença de outros sintomas sistêmicos também devem ser analisados.

Maira recomenda avaliação e acompanhamento médico, principalmente nas queimaduras de segundo e terceiro grau. E alerta que elas podem acontecer mesmo sem exposição direta ao sol. Quem ficar exposto ao mormaço, fizer uso de guarda-sol inadequado, ou ficar na água sem proteção também está sujeito aos perigos do sol.

Outro fator que pode atrapalhar o verão é a insolação. Ela é perigosa e em alguns casos pode haver perda da consciência e até morte. Dor de cabeça, tonturas, náuseas, mal estar, vômitos, febre, desidratação e aumento da temperatura do corpo são indícios de você tomou sol além da conta.

Entretanto, existem maneiras de minimizar e tratar os efeitos causados pela má exposição ao sol. No caso de queimaduras, o indicado é resfriar a região afetada com aplicação de compressas de água limpa, soro fisiológico e saquinhos de chá de camomila gelados. Se continuar incomodando, recomenda-se procurar orientação médica, que poderá receitar o uso de analgésicos. Usar roupas leves e que não estejam em atrito com a pele também ajuda a não sentir tanto os efeitos. Se você adquiriu uma queimadura de segundo grau e está com bolhas, não as remova e procure um médico.

No caso de pessoas com insolação, o recomendado é ir para local ventilado e fresco e beber bastante água. Compressas frias e úmidas também devem ser aplicadas para diminuir a temperatura do corpo. Ainda assim um médico deve ser procurado.

Pele dourada e bronzeado bonito são sinônimos de verão bem aproveitado. Não queira ser uma Garota de Ipanema em uma dia. Prefira ser a “coisa mais linda e mais cheia de graça”, todos os dias do verão - e com saúde.

Leia também - Pele das axilas e virilha escurecidas

Por Cínthya Dávila (MBPress)

Comente