Pele bonita: tratamentos certos para cada idade

Pelebonita

Foto: Westend61/Corbis

A necessidade de cuidados com a pele do corpo aumenta conforme a idade avança. Se antes essa preocupação se restringia as mulheres, hoje, homens também apostam em cosméticos e tratamentos estéticos em busca de uma pele bonita.

Todo mundo precisa cuidar da pele em algum momento da vida, seja com produtos de beleza ou até uma alimentação mais balanceada e a prática de exercícios físicos, que fazem toda diferença na cútis!

Por isso, um dos pontos mais importantes para uma pele bonita e saudável é a prevenção ao longo do tempo, que envolve principalmente limpeza, hidratação e proteção solar.

Quanto mais cuidados, menos invasivos serão os tratamentos para combater o envelhecimento no futuro, segundo o cirurgião plástico Romeu Fadul, especialista em rejuvenescimento.

E como se diz por ai "saber envelhecer faz parte do jogo." Querer ter pele de 20 anos aos 50 é desejo ilusório. É daí que surgem aqueles rostos esticados ou desfigurados por procedimentos exagerados. No entanto, alguns cuidados frequentes garantem a beleza da pele de forma harmoniosa no decorrer dos anos. Veja quais são eles de acordo com cada faixa de idade:

20 anos: Proteção solar, limpeza e hidratação suave são os pontos mais importantes. A higienização deve ser feita com produtos não agressivos e sem álcool. Além disso, é comum a formação de acne nesse período e, nesses casos, é preciso fazer um tratamento específico de acordo com orientação do dermatologista.

30 anos: Boa proteção solar e hidratação previnem marcas superficiais e mantém a pele vistosa e brilhante, com aspecto jovial. É hora para começar a usar cremes específicos anti-idade e nutrir a pele. É possível que já existam algumas manchas do sol e cicatrizes de acne no rosto, que podem ser tratadas com laser ou peeling.

40 anos: Hidratação, limpeza de pele e ginástica facial são indicadas, além do uso de cremes anti-idade no período noturno. A aplicação moderada de toxina botulínica pode ajudar a amenizar linhas e rugas mais acentuadas e prevenir que a pele fique marcada. O fumo é o principal vilão do envelhecimento e isso aparece claramente nessa fase da vida. Cuidados com alimentação devem ser redobrados e, segundo Cristiane, é recomendável suplementação oral, com nutricosméticos. Como nas outras fases, a proteção solar é indispensável.


45 anos: Neste estágio, a face já tem uma queda de gordura e, para reverter essa flacidez e estimular o colágeno, são recomendados tratamentos com aparelhos que realizam uma contração da pele, laser, luz pulsada ou ácido retinóico.

50 anos: Será preciso aumentar o rigor com a proteção solar e adotar um fator mais alto. Outras dicas são sessões de laser, infravermelho e radiofrequência, além de um peeling anual para homogeneizar a textura e a coloração cutânea. De acordo com os sinais da pele, já é possível pensar em injeções que dão volume e preenchem os sulcos - para isso são usados o ácido hialurônico e enxertos de gordura. Nesta fase, muitas pessoas exageram em busca da juventude perdida e acabam piorando ainda mais o aspecto da face.

60 anos ou mais: Continuam os cuidados da fase anterior, porém agora com mais intensidade. Para quem não fez tratamentos preventivos, será necessário recorrer a procedimentos mais invasivos e cirurgias plásticas para um rejuvenescimento mais aparente. Se o grau de flacidez cutânea for muito avançado, é possível fazer cirurgias pequenas, incluindo a área do pescoço.

Por Natália Farah

Comente