Manchas de pele - cuidados no Verão!

corpo manchas sol

No verão, o objetivo das mulheres é conseguir o famoso bronzeado dourado. Nessa busca pela cor do pecado, algumas se esquecem do mal que o excesso de sol pode causar à pele, entre eles o aparecimento de manchas.

Os tipos mais comuns são as sardas (pintas que aparecem geralmente no rosto e podem ser removidas com aplicação de laser ou peelings), a leucodermia solar (manchas brancas ao longo do muitos anos de contato com o sol, podendo ser amenizadas com tratamento dermatológico) e a fitofotodermatite (manchas marrons ou avermelhadas que surgem após o contato com ácidos seguido de exposição solar). Sabe aquela que surge depois da caipirinha? É essa mesma.

Além destas vilãs, o verão é propício ao aparecimento de micoses. Os fungos que as causam são favorecidos pelo calor, umidade e baixa imunidade. Existem diversos tipos. As mais comuns são a pitiríase alba (caracterizada por manchas brancas, ásperas e incômodas que costumam aparecer em peles ressecadas. Seu tratamento, à base de cremes específicos, demora até seis meses para surtir efeito) e a pitiríase versicolor (uma das mais perigosas, pois é contagiosa. Pode ser pega através de uma toalha de banho, por exemplo. São brancas ou marrons).

Especialistas alertam para a prevenção: evite tomar sol entre 10h e 16h, abuse do protetor solar e do hidratante. Arme-se contra essas manchas que podem estragar seu bronzeado. Surgindo alguma alteração na pele, consulte seu dermatologista.

Fonte: MBPress

Comente