Livre-se dos pêlos encravados

Livrese dos pêlos encravados

Foto: Dreamstime

Deixar a pele livre dos indesejáveis pêlos buscando melhorar a aparência é um dos objetivos de muita gente para o verão. No entanto, o cuidado com a remoção é essencial, evitando assim que a solução crie um problema: os pêlos encravados.

Segundo Fernando Sperandeo de Macedo, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia Regional São Paulo (SBD-SP), são duas as formas como os pelos encravados podem se manifestar na pele. E há tratamento para elas, mesmo tornando-se algo crônico.

"A pseudo-foliculite (ou falsa foliculite) é caracterizada pelo trauma do folículo (pequena cavidade que abriga os pelos), mas que não está associada a um processo de infecção por bactérias ou até fungos. Já na foliculite ocorre infecção, geralmente, por bactérias, agravando-se com a formação de pus", explica o dermatologista.

Frequente nas mulheres em áreas como as axilas, pernas e virilha, a causa do problema está, na maioria das vezes, quando o pêlo tenta sair do folículo para o exterior da pele ou em outras situações, como o atrito com roupas muito justas ou dependendo do processo de depilação utilizado.

O especialista afirma que medidas paliativas podem minimizar o aparecimento de pêlos encravados pelo corpo. "Para as mulheres é importante observar qual o tipo de método depilatório (cera, lâmina ou cremes) irrita menos a pele. A escolha do melhor método varia de acordo com cada indivíduo e seu tipo de pele", esclarece.

E acrescenta que "é sempre muito importante higienizar a pele antes de depilar, lavando-se com água e sabonete ou, até mesmo, utilizando cremes anti-sépticos e loções calmantes, após o procedimento. Para a região da virilha, particularmente, deve-se procurar usar roupas de algodão e que não estejam muito apertadas".

Mesmo assim, se todos os cuidados preventivos forem tomados e os pêlos encravados insistirem em aparecer, um dermatologista deverá orientar para o uso de medicamentos tópicos e, eventualmente, por via oral, em casos de infecção.


Por Jessica Moraes

Comente