Lipoaspiração ou vibrolipoaspiração?

Lipoaspiração ou vibrolipoaspiração

Maneiras rápidas para perder gordura e deixar as curvas perfeitas sempre atraíram as mulheres. No mercado são oferecidas diferentes técnicas para aguçar a vaidade feminina. Três delas são: lipoaspiração, vibrolipoaspiração e ultrassônica. Mas qual delas é a mais indicada?

O cirurgião plástico Gustavo Merheb conta que a lipoaspiração é indicada quando o objetivo da mulher é alterar a forma corporal. O procedimento nunca deve ser usado com a meta de perder peso ou qualquer outra função, como reduzir a chance de problemas cardíacos pela diminuição da circunferência abdominal. O mesmo acontece com a vibrolipoaspiração.

Os dois procedimentos também não podem ser realizados em qualquer parte do corpo. "Não aspiramos, por exemplo, bochechas, face (pescoço sim) e gorduras palpebrais. Existem outras áreas onde a lipoaspiração não é contraindicada, mas geralmente não é feita, normalmente por apresentar resultados ruins, como diretamente nos glúteos, face anterior das coxas e tornozelos", esclarece o especialista. "Quando for avaliado que um bom resultado poderá ser alcançado, avaliamos a possibilidade de tentar", completa.

Dr. Gustavo explica que a diferença da lipoaspiração tradicional com cânula - tubo de plástico - e vibrolipoaspiração é que na primeira a cânula é conectada a uma borracha de lipo que, por sua vez, é conectada ao aparelho gerador de pressão negativa (lipoaspirador). "Na segunda, a cânula é ligada a um aparelho (existem vários tipos e podem ser comparados a britadeiras) que gera micromovimentos circulares e de vai-e-vem, facilitando o trabalho do cirurgião", diz. "E a lipoaspiração ultrassônica (interna ou externa), recorre a um ultrassom para quebrar gordura, facilitando a posterior aspiração com cânulas".

Sobre a lipoaspiração ultrassônica, o cirurgião alerta: "Os europeus foram os primeiros a realizarem o procedimento. Após um breve período de euforia, ele começou a ser abandonado pelo grande percentual de complicações, como seromas e necroses de pele", revela. "Para se ter uma idéia, nos Estados Unidos o aparelho que a realiza não tem liberação do FDA (Food and Drug Administration) para ser comercializado e a empresa que vendia a maior parte dos equipamentos na America declarou falência!"

Antes de recorrer a qualquer um desses procedimentos, a paciente deve fazer uma série de exames, que podem ser avaliados até mesmo um dia antes do procedimento. "Entre os exames são solicitados hemograma completo, dosagem de sódio, potássio, ureia, creatinina e glicose, coagulograma e eletrocardiograma + risco cirúrgico", cita o cirurgião.

Segundo orientação da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica deve-se retirar, em gordura, de 5 a 7% do peso corporal total. Ou seja, uma pessoa pesando 50 kg poderia retirar entre 2,5 e 3,5 litros de gordura. "Pessoalmente, acho que nunca precisaremos chegar a estes valores para alcançarmos resultados excelentes. Para mim, esta normativa funciona como um limite a ser seguido e está direcionada a profissionais intempestivos que não entenderam para que serve e como deveria ser feita uma lipoaspiração", alfineta Dr. Merheb. "Lipoaspirações de 10 litros não emagrecem 10 kg de uma pessoa, tampouco modelam mais que um retirada, bem indicada, de dois ou três litros (fora o fato de que leva este paciente ao seu limite!)"

Como todo procedimento, é importante ressaltar que há riscos de complicações como

depressões (pelo excesso de lipoaspiração) e sobras de gordura (pela aspiração de pouco volume). Outras seriam seromas - acúmulo de um líquido claro na região operada - e perfurações abdominais. "É muito importante salientar que a falta de lipoaspiração pode ser facilmente resolvida através de retoque, necessário algumas vezes, enquanto o excesso pode ser de difícil solução ou, até mesmo, insolúvel", afirma o cirurgião.

Feita a cirurgia, o paciente deve fazer pequenas restrições de movimentos, caminhar o mais cedo possível, iniciar a drenagem linfática mais ou menos no 4º dia pós-operatório e usar uma cinta correta, que não pode ser frouxa nem apertada demais.


E vale ressaltar: somente um cirurgião plástico pode realizar os procedimentos. "Não importa a forma como seja feita, uma lipoaspiração é sempre uma lipoaspiração! A retirada cirúrgica de gordura irá sempre envolver a presença de uma cânula em um movimento de vai-e-vem e um profissional habilitado para tal movimento sem causar danos ao paciente", defende cirurgião plástico.

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente