Exposição solar - perigos do verão

Pecados de verão e os perigos do sol

Apesar de exposição solar ter seus benefícios e ser considerada um antidepressivo natural e promover uma enorme sensação de bem-estar, não há nada mais gostoso do que curtir a praia ou piscina nos dias de calor. No entanto, passar a tarde inteira debaixo daquele sol fortíssimo, só para ficar com um bronzeado legal, não compensa.

De acordo com o professor de cosmetologia e dermatologista, Maurício Pupo, "o mesmo sol que é tão vital para a saúde e para o bronzeado da pele pode provocar danos que vão desde as queimaduras, ardência, envelhecimento precoce, conhecido como fotoenvelhecimento, até o câncer de pele como o melanoma, um dos mais comuns. Tudo isso pode ser evitado dependendo da duração de exposição, do uso de fotoprotetor e da ingestão de suplementos que auxiliam a neutralizar a ação dos radicais livres gerados pela radiação ultravioleta (UV)", explica. Isso significa que, para ser benéfico, ele precisa ser muito bem dosado.

Um dos maiores erros de quem tem pressa para aproveitar o verão e conquistar um bronzeado rápido faz muita gente se esquecer de hidratar a pele após a exposição ao sol da maneira correta. Por isso, muita água e creme hidratante para cuidar da pele tanto fora quanto dentro. Afinal, a verdadeira hidratação da pele é feita sempre de dentro para fora e nunca o contrário.

Depois da exposição solar, a pele perde a manutenção e a regularização natural do manto hidrolipídico, ou seja, o relevo cutâneo perde água, o que o deixa ainda mais ressecado, mesmo para quem não deixou de usar o protetor solar durante a praia ou piscina, no entanto é preciso deixar bem claro que nenhum produto protege 100% contra os radicais livres, além de potencializar a ação de enzimas que degradam a elastina e fibras de colágeno da pele. "A radiação solar diminui a capacidade de retenção de água, intensifica a perda da luminosidade e tonicidade, além de deixar algumas áreas da pele com manchas e mais flácidas, surgindo, desta forma, as temidas rugas e linhas de expressão", explica o cosmetólogo.

Se você se identificou com alguns dos erros apontados acima, saiba que a combinação desses fatores pode custar caro, principalmente se não houver proteção adequada. Segundo o INCA - Instituto Nacional do Câncer, 25% dos tumores malignos, registrados no Brasil, correspondem a esse tipo de neoplasia. Para não entrar nessa estatística e evitar maiores danos, o oncologista Amândio Soares listou os cinco principais pecados cometidos no verão. Então, siga as dicas e saia com a pele imune.

Abusar do sol em horários críticos - no verão, é comum encontrar as praias lotadas a qualquer hora do dia. No entanto, os oncologistas recomendam que as pessoas evitem a exposição ao sol entre 10h e 16h. "Nesse horário, a radiação ultravioleta é maior e, consequentemente, o risco de aparecerem mutações genéticas que causam o câncer", explica o médico.

Não passar filtro solar em dias nublados - algumas pessoas acreditam que o efeito dos raios solares sobre a pele é minimizado se o sol estiver atrás das nuvens. Basta passar algumas horas em exposição num dia nublado para perceber que se trata de um mito. "Os raios ultravioleta não são bloqueados pelas nuvens. As pessoas devem se lembrar que estão se protegendo da radiação ultravioleta e não da luz solar simplesmente", diz Amândio.

Abrir mão de proteções físicas - apenas o filtro solar não é suficiente para acabar com os riscos da exposição ao sol. Principalmente entre 10h e 16h, é importante usar roupas e chapéus que protejam a pele dos raios solares. "A maioria das roupas reflete ou absorve os raios UV. Já os chapéus são importantes para proteger o rosto, pescoço e nuca, que são áreas mais sensíveis", afirma o profissional.

Esquecer de proteger crianças e adolescentes - segundo dados do INCA, até os 18 anos recebemos 80% de toda exposição solar de nossa vida. Por isso, é importante proteger as crianças e convencer os adolescentes a fazerem uso de filtro solar e outras formas de proteção constantemente. Em crianças abaixo de seis meses, devido à sensibilidade da pele, não é recomendável o uso de filtros solares, por isso, a exposição ao sol deve ser ainda mais cautelosa.


Negligenciar o aparecimento de alterações na pele - a modificação de pintas e manchas ou mesmo o aparecimento de feridas que não cicatrizam, marcas ou nódulos podem indicar modificações celulares relacionadas ao câncer. Por isso, é importante que se faça regularmente o autoexame da pele, usando espelhos e, caso apareça algum tipo de alteração, procurar o médico.

Por Paula Perdiz

Comente